quinta-feira, 30 de maio de 2013

Rato fotografado em Marte

'Mars rat' spied by NASA's Curiosity rover

Published May 29, 2013

FoxNews.comMars Rat Big.jpgRocknest' From Sol 52 Location.jpgThe patch of windblown sand and dust downhill from a cluster of dark rocks labeled the "Rocknest" site, where eagle-eyed believers think they've uncovered a "space rat." (NASA/JPL-Caltech/MSSS) Rocknest' From Sol 52 Location close up 1.jpgA zoomed-in view of the "Rocksnest" spot; the patch of rocks in question is seen at the lower-left side. (NASA/JPL-Caltech/MSSS) Rocknest' From Sol 52 Location close up.jpgAn even closer, zoomed-in view of the "Rocksnest" spot; the "rodent" is seen at the top left. (NASA/JPL-Caltech/MSSS)

Next Slide Previous Slide

Is that a rat on Mars?

A photo from the mast camera on NASA’s Curiosity rover reveals the dusty orange, rock-strewn surface of the Red Planet -- and what starry-eyed enthusiasts claim is a dusty orange rodent hiding among the stones.

The photo, taken Sept. 28, 2012, depicts the “Rocknest” site, where NASA’s rover took a scoopful of sand, tasted it, and determined it was full of weathered basaltic materials -- not unlike Hawaii, the space agency’s scientists said last year.

'Note its lighter color upper and lower eyelids, its nose and cheek areas, its ear, its front leg and stomach.'

- ScottCWaring on the blog UFO Sightings Daily

No word on how the rodent tasted, however.

The “creature” was identified on the UFO Sightings Daily website, where its finder, ScottCWaring, held tight to his opinion: That’s one darn cute rodent on Mars.

“Note its lighter color upper and lower eyelids, its nose and cheek areas, its ear, its front leg and stomach. Looks similar to a squirrel camouflaged in the stones and sand by its colors," he wrote. "Hey, who doesn't love squirrels, right?”

Others pointed out that the similarity in coloring and position mean it was most likely just a rock, fingering the psychology phenomenon known as pareidolia, a propensity to pick out faces from everyday objects and structures.

To take advantage of this psychological phenomenon closer to home, designers at Berlin's Onformative studio developed an algorithm that scans the surface of the earth with Google Maps, picking out geographical structures that are likely to be construed as having face-like features, science blog iO9 recently pointed out.

Their algorithm found faces in fields, mustaches in mountains, hills with actual eyes.

Perhaps the algorithm should be turned loose on Mars?

Read more: http://www.foxnews.com/science/2013/05/29/mars-rat-spied-by-nasa-curiosity-rover/#ixzz2UnkMBSwm

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Viagem ao outro mundo planeta Acart - caso Artur Berlet

Eram sete horas da noite. O caminho longo e escuro da estrada de chão estava se tornando cansativo.Em mais um dia de trabalho estafante do mês de maio de 1958, Artur Berlet, um tratorista da Prefeitura, regressava do interior a caminho de Sarandi. Mas antes de completar os 18 quilômetros que ligavam a localidade de Natalino à sede do município, deparou-se com uma intensa luz no mato à beira da estrada. Curioso, atravessou a cerca de arame farpado e avistou um objetor redondo, com mais ou menos trinta metros de diâmetro. Sorrateiramente, surgiram dois vultos de dentro do objeto, e um jato de luz forte atingiuo tratorista, fazendo-o perder os sentidos. A partir daí, os familiares e amigos de Artur ficaram oito longos dias sem notícias suas.
 
A viagem
 
Um extenso e detalhado relato sobre uma viagem a outro planeta deu origem a uma série de especulações e, até mesmo, piadas na região Norte do estado. Artur teria sido abduzido por mais de uma semana, levado por uma espaçonave a um planeta chamado Acart. Desta experiência nasceu a obra Da utopia à realidade - viagem real a outro planeta. Nos manuscritos de 422 páginas a lápis, Artur descreve fatos históricos e científicos que foram descobertos ao longo destes 50 anos. A história ficou conhecida como “Caso Berlet”, levando ufólogos do mundo inteiro a investigar o fato.
Segundo os manuscritos, Artur Berlet foi parar no tal planeta chamado Acart, a 62 milhões de quilômetros da Terra - esta distância, porém, foi questionada por cientistas, que afirmam ser impossível existir um planeta tão próximo da órbita terrestre. No livro, Artur conta que só recuperou os sentidos em uma cama diferente, com pessoas altas e claras se movimentando ao redor dele. Dois homens o conduziram à porta de saída,onde pôde observar perplexo a nave pousada em solo firme, em um lugar estranho. “Tive a impressão de que havia perdido metade do meu peso e, ao mesmo tempo, de que meus ombros haviam aumentado de volume”,escreveu. Ele conta ainda que, quando balbuciou algumas palavras em alemão, os homens entenderam a língua, e assim passou a haver comunicação entre eles. Durante os oito dias em que esteve no planeta, Artur descreve detalhes sobre as cidades super populosas, a água “tão leve como gás”, o transporte local, as armas utilizadas pelos habitantes, como os desintegradores e os neutralizadores solares. Na viagem de volta, ao contrário da ida, Artur percorreu acordado alguns trechos. Ele afirma que tomou uma pílula, tal como os outros tripulantes, para que dormisse nas “zonas de turbulência magnética” no espaço.
A nave o deixou no campo, a cinco quilômetros de Sarandi. Artur foi para casa e demorou uma semana para ordenar as ideias confusas e fazer desenhos e anotações sobre a viagem. Após escrever a mão toda a aventura vivida em outro planeta, Artur Berlet publicou o livro, com prefácio e epílogo de dois importantes ufólogos. Cinquenta anos depois, a edição de Da utopia à realidade - viagem real a outro planeta só pode ser encontrada na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro e nas bibliotecas municipais de São Paulo e Curitiba. Há ainda alguns exemplares com a filha de Artur, Ana Berlet, que ainda mora em Sarandi, tem um estúdio fotográfico, e é a principal divulgadora da história do pai, que morreu na década de 1980.

O caso se torna conhecido

"Tive a impressão
de que havia perdido
metade do meu peso e,
ao mesmo tempo, de que
meus ombros haviam
aumentado de volume."


Em 1972, Artur foi convidado por estudiosos da ufologia para dar uma palestra na Alemanha sobre sua experiência extraterrestre. Em maio deste ano, o Museu Internacional de Ufologia, História e Ciência, durante a Semana Nacional de Museus, em conjunto com o IPHAN, Instituto do Patrimônio Artístico Nacional, apresentariam uma exposição sobre o Caso Berlet. “Artur Berlet, o gaúcho que viajou para o outro planeta – 50 anos de história” foi uma exposição com acervo documental, fotografias do arquivo pessoal de Artur Berlet, um roteiro elaborado com a ordem cronológica dos acontecimentos, os manuscritos originais, em cadernos que somam 422 páginas, e ainda a máquina fotográfica, que, segundo Artur, fora levada junto ao planeta Acart. Relatos como o de Artur Berlet são estudados há anos por cientistas e pela comunidade ufológica. A Nasa,National Aeronautics and Space Administration, investe milhões de dólares em pesquisas relacionadas à vida em outros planetas. E a mesma questão, há séculos, produz inúmeras especulações: é possível existir vida fora da Terra? Para o professor Álvaro Becker da Rosa, que ministra aulas de física na Universidade de Passo Fundo, os cientistas não duvidam de que realmente há vida em outros planetas, mas a grande dúvida é a respeito da vida inteligente. Não existem evidências científicas de seres inteligentes vivendo fora do nosso planeta, mas a ciência não descarta essa possibilidade.
O livro 'Eram os deuses astronautas', do suíço Erich Von Dãniken, foi escrito em 1968 e estuda a possibilidade de as antigas civilizações terrestres serem resultado de visitas alienígenas. Nele, o autor questiona a construção misteriosa das pirâmides do Egito e da civilização inca, as quilométricas linhas de Nazca e outras construções que, mesmo hoje, com toda tecnologia existente, seriam difíceis de serem erguidas. Von Dãniken vendeu milhares de livros e provocou várias dúvidas nos leitores.
Uma das mais importantes revistas brasileiras, a Superinteressante, publicada mensalmente pela Editora Abril, volta e meia traz reportagens sobre a hipótese extraterrestre. Na edição número 214, a revista fala sobre um dos mais importantes estudos de ufologia realizado por uma fonte oficial, o Projeto Blue Book. O plano foi concebido pela Força Aérea Americana, de 1952 a 1969, e promoveu a investigação de milhares de casos para descobrir o real poder dos ovnis (objetos voadores não identificados) e se eles representariam uma ameaça à população americana. Na investigação, 12 mil relatos de avistamentos de óvnis foram analisados e 90% deles foram identificados como aviões, pássaros, balões, meteoros ou fenômenos atmosféricos. Os outros 10% foram classificados como “não-identificados”. Com isso, a polêmica foi instalada. Segundo ufólogos, as investigações teriam sido incompletas, e o Blue Book teria como finalidade ridicularizar a existência de vida extraterrestre para evitar a disseminação do pânico na população.
O assunto continua despertando polêmica até hoje, inclusive na comunidade científica. Existe muito sensacionalismo a respeito de aparições de ovnis. Quanto mais audiência um fato desse tipo der, menos crédito eu dou. Agora, aqueles fenômenos mais simples, que causam menos frisson na mídia, geralmente são os mais intrigantes”, afirma o professo Álvaro. Casos como o de Artur Berlet são perturbadores, segundo Álvaro. “Esse homem veio com uma enxurrada de informações, dizendo que havia visitado outro planeta, e hoje aos olhos da ciência podemos perceber que muito do que ele escreveu foi realmente descoberto anos mais tarde, como por exemplo, o silício monocristalino”, diz. E acrescenta: “Artur Berlet era de origem muito humilde, semi-analfabeto e não seria capaz de ‘inventar’ os acontecimentos com a riqueza de detalhes descrita no livro.

Veja a vídeo  abaixo :


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Genesis Revisitado - A Verdadeira Origem da Humanidade

 

 

Gostei muito desse vídeo, acho que você vai gostar. Quase todo baseado nas obras do pesquisador abaixo. clique e assista

http://filosofiaimortal.blogspot.com.br/2013/05/genesis-revisitado-verdadeira-origem-da.html

Zecharia Sitchin (Bacu, 11 de julho de 1920  — Nova Iorque, 9 de outubro de 2010) foi um autor de livros defendendo uma versão da teoria dos astronautas antigos para a origem da humanidade. Ele atribui a criação da antiga cultura suméria aos "anunnaki" (ou "nefilim"), uma raça extraterrestre nativa de um planeta chamado Nibiru, que se encontraria nos confins do Sistema Solar. Ele afirma que a mitologia suméria é a evidência disto, embora suas especulações sejam descartadas pela maioria dos cientistas, historiadores e arqueólogos convencionais, que discordam de sua tradução dos textos antigos e de sua interpretação da física.

Bibliografia de Sitchin

O 12ºPlaneta

A Escada para o Céu

O Livro Perdido de Enki

Guerra de Deuses e Homens

Os Reinos Perdidos

Gênesis Revisitado

O Começo do Tempo

Encontros Divinos

O Código Cósmico

O Fim dos Dias

Havia Gigantes na Terra

domingo, 26 de maio de 2013

Plenária de Maio de 2013 do CSPU

 

clip_image002[8]

Estarei falando do Fenômeno Ufo e dos métodos de pesquisa. Veremos que esse fenômeno acontece durante toda a História Humana e sempre interagindo com ela. Veremos a partir de quando começou-se a levar a sério os ufos. Várias são as formas de pesquisar ufologia e iremos falar delas. Vamos ver as classificações adotadas para se encontrar explicações para as formas como o fenômeno se apresenta. Dentre eles a científica ou casuística e a esotérica ou mediúnica. Ufólogos e simpatizantes estão convidados. 

!9:00h: Abertura - Jacinto Pereira de Souza

Informes e depoimentos: Com palavra facultada a todos;

Palestra: Recapitulando a Ufologia

Palestrante: Jacinto Pereira de Souza

Debate: Plenário

22:00h: Encerramento

A entrada é Franca.

Não esqueça, dia 31/05/2013.

Local: Auditório da Loja Eletromil na R. Cel. Diogo Gomes 1299, Centro, Sobral. Fica próximo ao Mercado e em frente a uma agência do Banco do Brasil

Você está convidado

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Estas moedas extraterrestres são deste mundo

 

Você já se perguntou o que a nossa moeda poderia significar para um alienígenas caso eles invadam nosso planeta e por alguma estranha razão decidem se integrar na nossa cultura, em vez de destruir a todos nós?

Esta seleção de moedas extraterrestres incluem alguns dos mais intrigantes níqueis da Terra. Se você não está familiarizado, hobo são qualquer moeda que teve suas esculturas originais alteradas.

A prática de desfigurar moedas remonta lá para o ano de 1750, quando um homem fazia um "símbolo de amor" para sua senhora, suavizando a moeda e acrescentando suas iniciais.

A arte de nickeling teve um surto de popularidade após o lançamento das moedas de níquel no qual oferecia uma quantidade perfeita de espaço para a criação de uma nova cena, aliado ao tempo livre durante a Grande Depressão.

Um dos grandes destaques é esta coleção alienígena que traz detalhes incríveis de relatos e filmes que envolvem o tema.

fonte: Arquivo UFO

Enviado por Greice Raia

O impacto do desacobertamento ufológico

richard_dolan_01

Richard Dolan:

Muitas vezes eu senti que o desacobertamento dos OVNIs e possíveis ETS é um paradoxo.  É impossível, mas é inevitável.

Impossível porque não há motivação política para isso.

Inevitável, porém, porque nossos líderes não constituem o fator único da equação.  Afinal de contas, há outros seres.  Mas principalmente, há nós, as pessoas, as quais estão passando pela maior transformação social, cultural e especialmente tecnológica na história da humanidade.  Na verdade, nós somos os que mudam o jogo.

Algum dia, e não vai demorar muito, algo irá forçar a mão de alguém. Poderia ser um grande avistamento, um grande vazamento de informações; alguma coisa.  Algo que não possa mais ser negado.  Afinal, estamos nos aproximando rapidamente daquilo que os especialistas em inteligência artificial chamam de Singularidade; quando a inteligência computacional ultrapassa a nossa.  Em tal futuro, podemos realmente pensar que ficaremos em ‘ponto morto’ sobre este assunto?

Algo forçará a mão do Presidente.  Ele, ou ela, finalmente falará naquela tão esperada conferência de imprensa para fazer aquela bombástica declaração: “Fui aconselhado pelo Conselho de Segurança Nacional, e pelos diretores de nossa comunidade de inteligência, que há uma realidade sobre alguns dos fenômenos de OVNIs, e que alguns dos OVNIs são naves físicas reais não manufaturadas por qualquer civilização conhecida na Terra“. Ou palavras similares.  É o tipo de declaração que muitos proponentes da revelação dos OVNIs gostariam de escutar, mas a real questão é: o que acontecerá depois?  Porque haverá muitas questões a seguir.

No topo da lista haverá questões sobre quem são esses outros seres e o qual seria a sua agenda.  Esta será uma questão muito difícil para qualquer Presidente responder.  Em primeiro lugar, há uma probabilidade de que mesmo os líderes do “orçamento negro/sociedades separadas” que têm estado no topo de tudo por anos, não saibam.  Ou pelo menos, não de forma total.

E o que aconteceria se eles soubessem?  E, além disso, o que aconteceria se pelo menos algumas das respostas contiverem informações que fossem profundamente perturbadoras?

Predizer as intenções de visitantes não humanos – ou residentes permanentes – não é a coisa mais fácil de se fazer, mas é inteiramente possível, julgando pelos dados que temos, que alguns deles não se importam muito com a humanidade.  Alguns talvez sim, outros talvez não.

O que aconteceria se uma agenda tivesse sido determinada pela comunidade de inteligência e esta agenda incluísse uma final substituição da humanidade por algum tipo de espécie alienígena híbrida?  Isso é o que alguns pesquisadores de abdução acreditam.  E mesmo se isso não fosse verdade, algum presidente honestamente acreditaria que ele, ou ela, possa conter tal especulação descontrolada neste sentido?

Mesmo se as intenções desses outros seres forem neutras ou positivas, haverá claramente uma tremenda suspeita por numerosos grupos da humanidade.  Isso não será fácil de convencer.  Haverá um grande número de pessoas predispostas a interpretar estes ou outros seres como nada além de demoníacos. A não ser que uma dessas entidades for trazida a um pódium e sujeitada a horas e dias e semanas de questionamento por um público insaciável, é provável que qualquer outro momento do desacobertamento não satisfará o público quanto as motivações desses alienígenas, da forma que ele gostaria que fosse.

Isso é somente o começo dos problemas.  Uma questão óbvia que irá surgir, uma que terá profundas implicações políticas, será muito simples: “Como é que vocês conseguiram manter este segredo por todos estes anos?

Considere que toda a nossa sociedade tem sido informada que OVNIs não representam nada verdadeiramente anômalo, que ETs, ou alienígenas, definitivamente não estão aqui na Terra interagindo conosco, que os que crêem em OVNIs podem ter boas intenções, mas têm estado errados sobre tudo isso.  Esse tem sido o estado mental encravado dentro de todas as grandes instituições.  Instituições educacionais, desde a escola primária até as universidades e níveis pós-doutorados.  Através das grandes organizações de imprensa, nas quais uma crença aberta sobre OVNIs é motivo de perda de carreiras.  Através de nossos estabelecimentos científicos, com certeza, e também através de nossa estrutura política.  Carreiras políticas têm sido destruídas, ou pelo menos severamente danificadas, pela mácula OVNI.  Lembre do que aconteceu com Dennis Kucinich em 2008, após ter sido divulgado que ele avistou  um OVNI anos antes. Não importou o fato de que duas testemunhas estavam com ele e confirmaram o avistamento.  Ele viram a mesma coisa.  Todas essas instituições e outras têm tratado o tópico OVNI como nada mais do que uma piada; algo apropriado para mentes imaturas.

Pode realmente ser que professores por todos os Estados Unidos uniformemente descartaram este fenômeno sem qualquer cooperação da comunidade de inteligência?  O mesmo pergunto sobre o mundo da ciência, política e imprensa.  Bem, não.  Não quando a mais modesta quantidade de pesquisa mostra uma forte influência da comunidade de inteligência sobre todas essas instituições.

Em outras palavras, as pessoas verão claramente que a máquina de segurança nacional criou uma cultura global que sufocou a verdade.  Pesquisadores começarão a investigar de forma séria como esses relacionamentos minaram a credibilidade de todas aquelas instituições, e minaram nossa compreensão da verdade.

O resultado será uma gigantesca limpeza cultural e institucional.  Mas não irá parar por aí. Os cidadãos naturalmente irão querer saber coisas específicas sobre a estrutura secreta.  Isto é, eles irão querer saber se o presidente dos EUA não estava mesmo envolvido todos estes anos, como parece, e então quem exatamente estava envolvido.  Quem gerencia o acobertamento dos OVNIs?

Se a resposta estiver próxima da minha pesquisa até agora, ela irá mostrar que o acobertamento tem por muito tempo sido afastado da autoridade presidencial formal, transferido para  mãos privada e internacionais.  Não é que o presidente dos EUA não tenha nada a ver com isso, mas que é mais provável que seja a face pública da verdadeira força da elite que está por detrás disso.  Todos nós chegamos a compreender isso, quando se trata de poder em geral, e este é provavelmente o caso quando começamos uma análise sofisticada do segredo ao redor dos OVNIs.

Em outras palavras, o momento do desacobertamento irá disparar uma revolução intelectual mundial relacionada à verdadeira estrutura do poder no planeta Terra.  Será um momento no qual o mundo verá e reconhecerá que o Imperador não está vestindo absolutamente nada.

A queda política será tremenda, e a grande batalha irá se desenvolver dentro dos primeiros anos do desacobertamento.  Pense nisso desta forma. Só porque o presidente tem sido forçado a fazer a declaração, não significa que a CIA e todos os outros grupos de inteligência que têm estado gerenciando isto irão simplesmente sair da mesa.  Claramente tem havido um esforço em conjunto abrangendo toda uma geração humana para controlar este tópico.  Grandes esforços foram investidos e um mero desacobertamento não irá mudar isso.  A questão real no mundo logo após o desacobertamento é: quem controla o resultado da história?

Isso tudo porque imediatamente haverá uma grande divisão, um grande abismo.  Uma vez que este tópico esteja na mesa aberto para discussão, pode ter certeza que pessoas ao redor do mundo irão demandar respostas.  Você também pode ter certeza que no outro lado da cerca a informação será liberada de forma tão lenta quanto possível.  Os manejadores do governo sairão em grande números, a fim de tentar controlar a situação, de acordo com a política de segurança nacional; mas desta vez os pesquisadores independentes de OVNIs poderão muito bem obter uma audiência pública que nunca conseguiram antes.  Se os porta voz oficiais estiverem fazendo declarações falsas, será muito mais fácil para os pesquisadores independentes apontarem isso, porque desta vez, o mundo estará mais aberto para escutar.  E haverá muitos, muitos mais investigadores deste tópico após o desacobertamento, do que há hoje.  O resultado disso, só o tempo dirá.

Há tantos assuntos sensíveis relacionados às finanças globais, energia, comissões da verdade, processos judiciais, transformações sociais, guerras culturais, mudanças espirituais/religiosas, mudanças de paradigma científico e, finalmente, mudanças geopolíticas, os quais nos permitirão encarar o desafio de “outros” aqui no planeta Terra em algum tipo de forma coordenada, e esperançosamente lógica,  e até mais esperançosamente de alguma forma que responda ao povo, ao invés de um grupo de humanos da elite.

Para tal, precisamos uma pressão da população vinda debaixo, bem como tremenda energia política, ética e coragem para enfrentar a cultura do “orçamento negro” que tem dominado este assunto por tanto tempo, e assim começarmos uma longa e árdua luta para exigir alguma medida de liberdade e dignidade para humanidade, enquanto começamos uma fase de nossa existência que é nova, melhorada e mais madura.

Fonte:

http://ovnihoje.com/2013/05/16/richard-dolan-historiador-e-escritor-norte-americano-fala-sobre-o-impacto-do-desacobertamento/#ixzz2TSZw6zDe
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quinta-feira, 23 de maio de 2013

7 duvidosos conceitos sobre alienígenas

 

Incontáveis filmes, livros, desenhos e séries de ficção científica criaram imagens extremamente variadas de alienígenas. Como (a princípio) nunca encontramos um de verdade, não há como desmentir essas imagens, certo? 

Não exatamente: combinando seus conhecimentos sobre a vida na Terra e sobre o espaço, astrobiologos e outros investigadores imaginaram como seriam extraterrestres inteligentes – e eles não se parecem muito com aqueles que vemos em filmes de Hollywood.

7. Eles virão “em paz”

Certa vez, o célebre físico Stephen Hawking disse que nossa tentativa de nos comunicarmos com alienígenas pode ser perigosa: “Eu acredito que o resultado seria muito similar ao da primeira vez em que Cristóvão Colombo veio à América, que não foi muito bom para os nativos americanos”.

E por que deveríamos supor esse comportamento agressivo? De acordo com Seth Shostak, astrónomo do Instituto SETI (sigla em inglês para Busca por Vida Extraterrestre Inteligente) em Mountain View (EUA), basta olhar para a própria raça humana, que ao longo de sua história vem usando violência para obter e proteger recursos e sobreviver – algo que poderia ser “necessário” em outros planetas. “Imagino que recursos sejam finitos em qualquer parte do universo”, explica Shostak.

6. Eles nos colocaram aqui

Há quem acredite que a vida na Terra teria sido trazida por alienígenas – algumas pessoas têm teorias ainda mais específicas, como a de que o “planeta viajante” Nibiru (que nunca foi observado por astrónomos) teria trazido as primeiras formas de vida ao nosso planeta.

“Toda semana eu recebo e-mails dizendo que o Homo sapiens é resultado de uma intervenção alienígena”, conta Shostak. “Não tenho certeza de por que aliens estariam interessados em nos criar. Acho que as pessoas gostam de pensar que somos especiais”.

5. Eles morrerão de bactérias terrestres

Há muitas obras que retratam aliens como criaturas avançadas, porém incapazes de sobreviver a infecções na Terra. Há uma incoerência nessa ideia. 

“Formas de vida alienígenas não viriam aqui e seriam destruídas por nossas bactérias, a menos que fossem bioquimicamente relacionadas a humanos. Bactérias teriam de ser capazes de interagir com a bioquímica deles para serem perigosas, algo que não pode ser dado como certo”.

4. Eles vão nos devorar

Partindo do mesmo pressuposto do tópico 3, faz sentido imaginar que aliens não seriam capazes de nos digerir, devido a grandes diferenças bioquímicas. 

E, provavelmente, sequer precisariam. “Uma sociedade capaz de realizar viagens interestelares teria resolvido seus problemas de desenvolvimento e não precisaria se alimentar de seres humanos”, aponta o astrónomo Jacob Haqq-Misra, da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA).

3. Eles vão se reproduzir com humanos

Para criar seres “mestiços”, o código genético de aliens teria de ser compatível com o de humanos, algo altamente improvável. 

“Pense em como nós não conseguimos nos reproduzir com outras espécies na Terra, e olha que elas têm ADN. Seria como tentar se reproduzir com um carvalho”.

2. Eles virão “pessoalmente”

Se mesmo entre humanos é comum usar máquinas para fazer o “trabalho sujo” (como satélites para explorar o espaço), por que com aliens seria diferente? É uma questão de eficiência – e, às vezes, de segurança.

1. É certeza que eles existem

Considerando que o universo é “infinito”, a ideia de que só há “vida inteligente” na Terra soa improvável. Contudo, o próprio surgimento de vida terrestre é, até onde se sabe, um grande “golpe de sorte”, e nos diz pouco sobre as chances do mesmo acontecer em outros planetas.

fonte: Hypescience

domingo, 19 de maio de 2013

Ex-militar dos EUA, reconhece que avistou no Canadá dois OVNIs e "seres estranhos."

 

Um militar aposentado dos EUA, revelou os detalhes de seu encontro com os alienígenas, que  aconteceu em 1950, mas permaneceu em segredo até agora.

O tenente-coronel da Força Aérea, Richard French, era naquela época um dos principais investigadores do chamado "Projeto Livro Azul" tinha como seu trabalho refutar os falsos relatórios sobre UFOs , então ele não podia sequer imaginar que um dia veria por fim dois aliens fazendo reparos em sua nave.

Um dia os superiores do militar receberam um relatório de dois OVNIs que foram avistados por muitos moradores da cidade canadense de St. John, e ordenou que French investigasse. Ao chegar no local, o tenente-coronel viu uma multidão de pessoas, incluindo vários policiais locais, olhando com admiração para a água.
French lembrou que a água era muito clara e ele podia ver cerca de 20 metros da costa, duas naves circulares, cada uma com cerca de 5,5 metros de diâmetro e cerca de um metro de altura, que flutuavam sob a superfície da água.
Também viu dois seres nas naves. "A primeira coisa que vi foram ao UFO, e ficou claro para mim que eles estavam fazendo algo com a nave", disse o ex-soldado ao jornal 'Huffington Post', mas reconheceu que ele não podia ver claramente os detalhes.
As duas criaturas em questão "mediam cerca de 2 ou 3 pés [0,6-0,9 metros], cor cinza claro, muito fina, braços longos, com dois ou três dedos", disse o francês. "O topo de suas cabeças era muito mais amplo do que a linha da mandíbula, os olhos estavam inclinadas e as pupilas não podiam ser vistas ", ele continuou afirmou que parecia aliens dos filmes. , então French disse uma das naves vieram à subir e foram embora.
Cerca de 20 minutos depois, ele apareceu de novo, e saiu junto com um outro UFO. Ironicamente, o trabalho de French na época era refutar as histórias sobre UFOs, por isso apresentou um relatório fictício, no qual considerou os OVNIs como algo desconhecido ", uma espécie de veículo estrangeiro ou irreconhecível."

"Eu acho que eram definitivamente OVNIs e eu acho que eram estraterrestres a bordo", diz French agora. "Não há dúvida em minha mente que era exatamente o que eles eram, e meu dever era desacreditar a história, então eu fiz o meu melhor para fazê-lo."

http://actualidad.rt.com

Nota: Devagar, muito devagar, vão surgindo confirmações "oficiais" sobre a existência de OVNIs e extraterrestres, estão devagar nos dizendo, "sim eles existem, sempre negamos ou não confirmávamos, mas agora estamos confirmando que eles realmente existem".
Falta só o Obama ir na tv e dizer ao vivo,  aí muitos vão crer, será? rs

Abração
Célio

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Temos no espaço uma Força Militar, que está na existência

http://1.bp.blogspot.com/-tZOZPplPTME/UYaP34wt23I/AAAAAAAAOTw/O9Own5QbOoU/s1600/super+star+destroyer+Divulga%C3%A7%C3%A3o+Mundial,+fala+sobre+o+senador+Mike+Gravel+N%C3%B3s+temos+uma+for%C3%A7a+militar+do+espa%C3%A7o_497x311.jpg Neste segmento do Audição Cidadão sobre Divulgação UFO, realizada no início deste mês  no National Presso Club, em Washington DC, ficamos a saber que nas últimas décadas , os Óvnis foram desligando ogivas nucleares e na suspeita razão para isso é quem está preferindo para nós que nos livremos de nossas armas nucleares .


Além disso, o ex-senador do Alasca e Candidato presidencial dos EUA , Mike Gravel admite a existência de uma Força Militar  baseada no espaço encarregada de defender o nosso espaço aéreo.

Na discussão que se seguiu de que esta informação foi negada ao público, a resposta oferecida é que aqueles que têm acesso à antigravidade e outras tecnologias alienígenas de engenharia é devido ao poder pagante, e estes

são básicos, a ganância humana.

Video (5:35 minutos):

"Nós temos uma Força Militar no espaço, é
na Existência "

PS Por favor, compartilhe a Proibida TV Conhecimento  por e-mails

e vídeos com seus amigos e colegas.

É assim que nós crescemos. Obrigado.


Alexandra Bruce

Mais informações em >

http://www.ForbiddenKnowledgeTV.com/page/23327.html

terça-feira, 14 de maio de 2013

Próxima reunião plenária do CSPU

 

Pauta: Ufologia

Abertura: !9hs Abertura e conceituação do tema da pautado com Jacinto Pereira

Informes e depoimentos: Com palavra facultada a todos;

Palestra: O tema estará sendo divulgado em breve

22:00h: Encerramento

A entrada é Franca.

Não esqueça, dia 31/05/2013.

Local: Auditório da Eletromil na R. Cel. Diogo Gomes 1299, Centro, Sobral. Fica próximo ao Mercado e em frente a uma agência do Banco do Brasil

Você está convidado

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Brasil já teve um órgão oficial para pesquisar óvnis?

 

Testemunha aponta local de suposto aparecimento de um óvni durante período de atuação do Sioani Foto: Revista UFO /  Divulgação Testemunha aponta local de suposto aparecimento de um óvni durante período de atuação do Sioani Foto: Revista UFO / Divulgação

Há 40 anos, em 1972, encerrava suas operações, silenciosamente, um órgão da Força Aérea Brasileira (FAB) dedicado à investigação de discos voadores. Em plena ditadura, o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani) funcionou durante três anos, desde 1969. Ao longo do período, analisou mais de 100 casos envolvendo supostas manifestações de objetos voadores e seres extraterrestres. No Arquivo Nacional, há mais de 1,3 mil documentos produzidos pelo órgão, com textos, fotos e desenhos.

De ET pacifista a casos sem solução; veja relatos de óvnis

"Imenso é o noticiário da imprensa mundial sobre o aparecimento do fenômeno conhecido como 'discos voadores', que passaremos a denominar de OANI (Objetos Aéreos Não Identificados)", publicou o Sioani em seu primeiro boletim, em março de 1969.

"A partir de 1947, em ondas sucessivas, as notícias se projetam nas páginas dos jornais, a povoar a imaginação dos sonhadores, a fortalecer os argumentos filosóficos dos místicos, a aguçar a curiosidade do homem cotidiano, a ferir o ceticismo dos cientistas, a desafiar a inteligência humana para equacionamento de um problema cujos valores parecem extrapolar o quadro dimensional do mundo em que vivemos. É preciso realizar-se uma investigação metódica, científica.".

Com essa mentalidade científica, o major-brigadeiro José Vaz da Silva coordenava agentes militares e civis em ações de coleta, pesquisa, entrevista e vigília. As saídas de campo eram realizadas por três a quatro homens, que portavam câmeras fotográficas, gravadores, equipamentos de infravermelho e de ultravioleta, magnetômetro, entre outros instrumentos. Muitos entrevistados eram submetidos a testes psiquiátricos, por médicos da FAB. Evidências físicas, como amostras de solo que supostamente haviam tido contato com naves espaciais, eram analisadas no Instituto Tecnológico da Aeronáutica, em São José dos Campos (SP), e em laboratórios americanos.

Da sede, situado nas instalações do IV Comando Aéreo Regional, no bairro de Cambuci, em São Paulo, havia troca de informações e conhecimentos com projetos semelhantes de outras nações, como França e Estados Unidos que, na época, estavam extinguindo o projeto Blue Book (em português, Livro Azul) com a alegação oficial de que não havia credibilidade relevante nos casos coletados para a continuidade do programa.

Em entrevista à Revista UFO, um ex-agente civil da Sioani, Acassil José de Oliveira Camargo, conta que, nos três anos em que trabalhou no órgão, ouviu diversas histórias interessantes, mas nunca as presenciou. "Apesar de participarmos de várias vigílias noturnas em várias cidades, nós não observamos e nem registramos qualquer fenômeno", confidencia. "Pessoalmente, acredito que a maioria dos casos ufológicos relatados pode ser explicada, pois existem muitos fenômenos naturais que confundem as pessoas".

Lutando com ET
Alguns relatos, no entanto, não se constituem de produto de fenômenos da natureza, embora possam advir da imaginação. Um vigia das Centrais Elétricas de São Paulo (CESP), de Bauru, afirmou ter feito contato visual com três criaturas estranhas em uma noite de agosto de 1968. Ao abordá-los e instá-los a irem embora, o vigia "pensou que o ser estava de costas, mas estava de frente, trajava roupas escuras e apresentava apenas os olhos de fora". O aviso não funcionou, e logo o homem passou a ser agredido pelos invasores. Antes de deixá-lo, os visitantes indesejados avisaram: "Vá embora, seu vagabundo, que nós voltaremos quando esta obra terminar". Diante da ameaça, o vigia se afastou correndo, mas ainda teve tempo de observar o grupo se deslocando para dentro de uma nave no formato de uma "Kombi em pé", que alçou voo produzindo barulho "semelhante ao de fritura". Tudo isso, claro, conforme a narrativa registrada em relatório dos militares.

Ceia agitada
No Natal do ano seguinte, mais uma ocorrência peculiar. Finda a ceia de uma família de Belo Horizonte, que comemorava a data com um jantar no jardim de casa, os anfitriões começavam a recolher a mesa quando algo assomou nos céus. Por volta das 4h30, dois objetos redondos de grande luminosidade, do tamanho de bolas de futebol, voavam em alta velocidade. Um deles se distanciou enquanto o outro empreendeu acrobacias diante do casal. A história podia ser facilmente ignorada e tachada como falácia se não fosse a alta credibilidade dos donos da casa, que contaram tudo para jornais da região e chamaram a atenção do Sioani.

Operação Prato
O "Ioani", como era chamado o investigador de objetos aéreos não identificados, deixou de existir em 1972, com a extinção do órgão. Até hoje, no entanto, ufólogos brasileiros perscrutam os documentos daquela época, recentemente disponibilizados no Arquivo Nacional, em Brasília, em busca de evidências científicas que corroborem a ideia de que extraterrestres visitam a Terra de vez em quando. Segundo eles, porém, segue a luta pela liberação de supostos documentos secretos do governo, como 16 horas de filmagem da Operação Prato, de 1977, a qual rendeu diversos relatos dos próprios militares que passaram quatro meses na selva amazônica, no Pará. "Só 300 das 2 mil páginas da operação estão disponíveis", garante o jornalista e editor da Revista UFO, Ademar Gevaerd.

Mas essa é outra história...

www.noticiasterra.com.br

Vídeo: Ex-ministro de Defesa do Canadá reconhece ao menos 4 espécies de ETs na Terra

 

Postado em mai 6 2013 - 7:31pm por Jornal da Chapada

 

 

O vídeo acima foi gravado na audiência pública sobre a revelação dos ufólogos (UFOs). Esta audiência aconteceu em Washington, nos Estados Unidos, do dia 29 de abril a 3 de maio de 2013. Um dos convidados foi Paul Hellyer, ex-ministro da Defesa do Canadá. Existem alguns trechos importantes nas declarações feitas por Paul Hellyer, que esteve à frente do ministério da defesa canadense por 23 anos, durante três diferentes governos. O site Ipitanga.com traduziu alguns trechos fundamentais das declarações de Paul Hellyer e disponibilizou em matéria publicada nesta segunda (6). Aos 2 minutos e 20 segundos, o ex-ministro diz que os “UFOs são tão reais quanto os aviões voando sobre as nossas cabeças”. “Esta foi a minha declaração, o que me deu a chance de ser o primeiro líder de primeiro escalão no mundo a fazer esta declaração de uma maneira clara e inequívoca”, afirma Paul Hellyer. Ele continua dizendo que “reconhece ao menos 4 espécies diferentes convivendo conosco neste momento no mundo”. “Há ETs vivos na terra neste momento, e pelo menos dois deles trabalham com o governo dos Estados Unidos”.

Leia também:
Círculo de 70 m surge em plantação de arroz e intriga indonésios
Ciclistas fotografam suposto disco voador na serra do Gado Bravo
Ciclista que fotografou Óvni revela ter visto objeto outras quatro vezes
Ufólogo confirma Óvni nas imagens dos ciclistas de Senhor do Bonfim

O vídeo continua e Paul Hellyer diz que o seu interesse é fazer uma revelação completa, ou pelo menos de 98% dos fatos conhecidos. “Do mesmo modo que as crianças estão preparadas para em algum dia perceberem que há ilusões que não existem, como a fada-do-dente, os adultos que pagam impostos devem ser considerados preparados para entender esta nova realidade de que vivemos num cosmo cheio de vida, o qual compartilhamos com várias outras espécies”, completa. Para ele, o fato de que outras espécies são mais avançadas do que nós [humanos] pode nos exigir humildade, mas pode ser um passo importante para a nossa sobrevivência. “Temos um sistema econômico terrivelmente tolo no ocidente hoje, e o congresso dos Estados Unidos tem parte da responsabilidade por isso, terei prazer em elaborar mais o assunto caso tenham interesse em ouvir”. Confira o vídeo e habilite as legendas e tradução no Youtube.

Ipitanga.com

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Mais de 900 policiais britânicos já viram OVNIs

 

Escrito por M.F. Luder no domingo, 5 maio 2013

pin it button Mais de 900 policiais britânicos já viram OVNIs

ufo luz thumb Mais de 900 policiais britânicos já viram OVNIs

Policiais britânicos foram envolvidos em pelo menos 430 avistamentos de OVNIs, incluindo um que era três vezes o tamanho de um campo de futebol. A informação foi revelada em uma audiência de seis ex-membros do Congresso dos Estados Unidos esta semana.

Gary Heseltine, um detetive do Reino Unido, e criador de um banco de dados ufológico da polícia – que ele mantém de forma não oficial. O banco de dados, criado em 2002, registra relados de oficiais que estiveram envolvidos em avistamentos de OVNIs.

"Os avistamentos ocorreram em todos os momentos do dia", disse ele ao comitê.

Heseltine disse que quando ele começou no banco de dados há 11 anos, ele tinha registro de seis casos envolvendo 11 policiais. Hoje ele tem 430 relatos de avistamentos de OVNIs envolvendo mais de 900 policiais.

Heseltine disse que cerca de 70% dos casos que ele tinha em seu banco de dados envolvem várias testemunhas. "Em um caso, 24 policiais observaram um objeto", disse ele.

Muitos policiais já teriam observado estruturas ou naves "de grandes proporções", disse Heseltine. Ele descreveu um relatório de março 1984, onde os oficiais de Middlesex descreveram um "objeto preto silencioso com o tamanho de três campos de futebol."

Em outro relatório, três policiais testemunharam uma nave-mãe do tamanho de um campo de futebol que foi acompanhado por naves menores. A nave-mãe teria lançado um feixe ao chão e todos os objetos menores de repente desapareçam tão rápido quanto "desligar de uma lâmpada", disse Heseltine.

Heseltine disse que policiais britânicos puderam "ver a estrutura real e tinha uma natureza física".

"Muitos policiais dizem que os objetos pareciam se mover de maneiras que desafiam a física", disse ele.

Heseltine disse que as autoridades britânicas seguiram a mesma política de negação como os Estados Unidos. O que deixou a polícia britânica muitas vezes angustiada e incapaz de oferecer as explicações aceitáveis ao público.

"O momento agora é de levantar o véu", sobre o assunto dos OVNIs, disse ele, acrescentando que é importante que as pessoas sejam "capazes de revelar as suas experiências, sem o risco do ridículo."

Heseltine está partipando do Congresso de Divulgação que está tomando testemunhos públicos de pesquisadores internacionais e ex-membros do exército dos EUA que estiveram envolvidos em encontros com extraterrestres.

O objetivo do evento está em pressionar o governo dos Estados Unidos para abrir seus arquivos em encontros documentados com vida extraterrestre e OVNIs.

Leia mais em: http://arquivoufo.com.br/2013/05/05/mais-de-900-policiais-britanicos-ja-viram-ovnis/

sábado, 4 de maio de 2013

Ex-soldado do Exército é curado por Extraterrestres

Não existem somente ETs maus

Soldado Marcos Costa Lobo passou 14 anos com ferimento nas costas


19/01/2006 – É surpreendente encontrar histórias como esta escondidas por baixo do tapete da ação humana oficial.

Um rapaz à época, em 1991 com 22 anos, foi convocado para prestar o Serviço Militar Obrigatório Inicial mesmo considerado ”refratário” por ter idade superior à exigida : 18 anos.


Marcos Costa Lopes nos dias de hoje, com 35 anos e uma de suas obras de arte

Marcos Costa Lobo foi admitido na 03º Brigada de Infantaria Motorizada sediada no município de Goiânia – no estado de Goiás/Brasil – naquele ano e de imediato recebera instruções – mesmo ainda sendo o que os militares chamam de ”conscrito” – de que deveria participar dos treinamentos especiais para combater na guerra do Golfo Pérsico, empreitada pelo governo dos Estados Unidos. Naquele período já se faziam dois anos consecutivos que o conflito armado internacional naquela região dos países árabes havia iniciado. O Exército Brasileiro corria o risco de enviar um bom contingente e teve que iniciar preparativos para este fim. Futuramente foi-se apenas realmente empregado alguns pelotões do estado do Rio de Janeiro, mas a preparação foi feita por pelo menos 70% da força nacional.

O Soldado Lobo, como veio a ser batizado por nome de guerra, foi duramente espancado nas instruções de combate. Os oficiais exigiam este tipo de expediente pois a tropa iria enfrentar os maiores horrores e precisava estar em condições de suportá-lo, assim como de atingir níveis psicológicos que permitissem abater o inimigo com facilidade.

No que pôde-se chamar de ”instrução de combate”, ele veio a receber uma pancada crucial na coluna dorsal vindo a quebrá-la. Seguidamente e ao mesmo tempo em que encontrava-se ferido, uma bomba supostamente de ”morteiro” explodiu próximo fazendo com que os estilhaços o atingissem também.

Matéria publicada no JORNAL DIARIO DA MANHÃ da cidade de Goiânia/GO, em 10/07/1999

Estava então a partir daquele instante, dado inicio aos seus longos anos de sofrimento. O Exército Brasileiro custou a identificar o estado de saúde daquele soldado como grave. O médico que atendia naquele momento apenas o receitou um analgésico para controlar a dor e seus superiores o colocaram em regime normal de trabalho pois não reconheceram – assim como o médico – os danos que havia sofrido a coluna do rapaz.


Matéria sobre o caso publicado no JORNAL OPÇÃO em Março/1999

Somente após terem inicio os sintomas de perda de coordenação motora das pernas, é que foi finalmente encaminhado ao Hospital Geral de Brasília – hospital especializado do exército – para um tratamento adequado. Apesar de que o próprio hospital lhe escondeu informações como a biópsia da mancha escura que nasceu em suas costas no local da lesão.

A mancha não desaparecia mais e nenhum médico oficial dizia ao certo o que estava se passando ou qual era o procedimento correto a ser empregado para sanar o avanço da mesma e curá-la. A suspeita desta vítima era a de que havia sido contaminado por algum estilhaço de uma suposta bomba com agentes químicos ou material contaminado usado para desferir-lhe o golpe que o atingiu.

Quatorze longos anos se passaram e muitas reportagens a respeito do que vivia foram feitas.

Até chegar o ano de 2005 onde em meados do mês de outubro em sua casa, agora já casado e pai de quatro filhos, estava à beira de um fogareiro esquentando água numa lata e nela se formar uma imagem perfeita de Nossa Senhora.

Foi mais um fato em sua vida, pois já vivenciara quando garoto e em alguns supostos sonhos a aparição de seres e vultos luminosos que vinham ao seu encontro onde até atravessavam as paredes.

A questão toda não se foca apenas neste momento da aparição da imagem de Nossa Senhora numa lata queimada, mas o que se deu na noite seguinte.

O agora ex-soldado Lobo encontrava-se semi-encostado no sofá da sala de sua casa naquela noite, com as faixas do curativo como sempre enroladas em sua cintura para conter o sangramento e secreção constante do ferimento que há 14 anos não sarava e fazia somente aumentar de tamanho, quando algo o chamou a atenção : Uma luz apareceu à frente e veio em sua direção. Era um vulto brilhante que tinha a forma humana com uns 2,0 metros de altura e que naquele momento flutuava sobre o piso da sala na sua direção. Lobo não se assustara pois como dito anteriormente, já possuia algumas experiências neste sentido inclusive herdadas de seu falecido pai que estudava a fundo o fenômeno OVNI e sempre fazia questão de mostrar alguns eventos para o mesmo.

O ser de luz aproximou-se até junto de Lobo causando-lhe neste momento uma sonolência repentina mas que o fez projetar-se de seu corpo – o espírito, digamos – e ver o que estava acontecendo numa outra condição – digamos – dimensional. O que ele conseguiu explicar para nós do Portal Ufo-Gênesis foi que ele inexplicavelmente conseguiu assistir de fora o que acontecia com seu corpo físico e daí o que deduzimos ser uma ”projeção do espírito/alma”. O ser de luz agora já se encontrava num formato físico que podia-se defini-lo como sendo um individuo alto e esguio, cabeça desproporcional ao corpo, olhos grandes e amendoados, nariz e boca pequenos e a pele lisa. Ele estava acompanhado de mais um com a sua estatura e outros dois com a mesma característica, mas pequenos com no máximo 1,50 metros de altura. Este quarteto manipulava as costas do corpo deitado de Lobo e um deles disse-o : ”…não tenha medo, não vai doer nada.” _Disse esta pequena frase num tom de voz muito suave e acomodador. Após fazer um gesto como o da retirada do ferimento, disse novamente : ”…você viu como não doeu nada?” Após este momento, a testemunha não se recorda de mais nada pois sofreu um apagamento repentino vindo a acordar pela manhã com o sol já claro. E o mais interessante : ”deitado no sofá”. Fato que não podia fazer há muitos anos por causa do ferimento que não lhe proporcionava condições para encostar-se totalmente nem mesmo em sua cama.


Este é o estado em que se encontravam as costas do ex-soldado do exército brasileiro, em Junho/2005, após cerca de 14 anos de sofrimento em busca de tratamento para uma lesão desenvolvida num treinamento militar para combate na Guerra do Golfo (1991)

Assustado por ter-se encontrado assim e temendo ter ampliado mais ainda a enfermidade, logo imaginou ter molhado de sangue o sofá e toda sua roupa. Espantou-se em ver que nada do que imaginava ocorreu e incrivelmente sentia-se melhor naquela manhã como se nada de mau há muito não o acometia.

As faixas de uso, são trocadas diariamente mas algumas de contato direto com o sangue e secreções não são fáceis de substituir porque unem-se à uma camada de casca que normalmente se forma nas bordas do mesmo. Naquela manhã, sua esposa que toma as vezes de enfermeira, não notou nada de estranho pois não chegara a ver a pele por baixo do curativo e o trocara somente até onde podia.

Seis dias após esta experiência – digamos – de outro mundo, uma consulta no Hospital Geral de Brasília fora conseguida a muito custo por conta das insistentes matérias jornalísticas que acusavam o Exército de omissão e descaso. A intenção era fazer uma raspagem à laser na lesão na tentativa de cicatriza-la. Lobo apesar de estar sentindo-se bem e até conseguir fazer alguns esforços que antes não conseguia e inclusive se encostar na cadeira sem sentir as comuns dores, foi até o referido hospital.

O espanto estava nos olhos dos médicos que já conheciam o caso de longa data: Ao retirarem a totalidade das ataduras após uma demorada limpeza, não encontrarem absolutamente nenhuma lesão que indicasse ali ter havido qualquer dano.

Um milagre havia acontecido ! A pele que recobria os músculos das costas estava intacta e sem nenhuma indicação de intervenção cirúrgica ou cicatrização. A impressão era de que ali nunca fora alvo de nenhum agente agressivo.


Aqui estão as mesmas costas da foto acima, fotografada em 19/01/2006. Não há sinal de lesão alguma

A equipe médica indagou ser aquilo uma brincadeira e os oficiais superiores que também acompanhavam o caso questionaram sobre o fato de este ex-soldado ter aprontado alguma contra tais.

O fato é que nem mesmo este rapaz com atuais 35 anos, podia acreditar neste verdadeiro sonho que agora faz questão de mostrar para o mundo.

Uma coisa que Marcos Lobo aprendeu por força da situação, foi a ”arte da escultura”. Ele desenvolveu uma técnica de criação composta por uma fórmula especial que seu pai o ensinara e que possibilitava fornecer alta durabilidade nas suas peças, quais forem. Ele ficou famoso também por esta capacidade que lhe rendeu muitos elogios e uma terapia que o ajudou a suportar o sofrimento que passara.


Publicação em que mostra os trabalhos desenvolvidos por Marcos Lobo


Segunda parte da reportagem que expõe os trabalhos artísticos do ex-soldado do exército Brasileiro ferido num treinamento de guerra

Isto, somado ao que vivenciou com relação ao fenômeno OVNI, lhe incentivou a valorizar a vida e tudo que nela está contido : a natureza, as pessoas e os animais. Hoje como sempre, empenha-se em transmitir a mensagem de Paz e Esperança às pessoas através da reprodução de sua experiência.

Lobo quer provar ao mundo que não estamos sós e que estamos realmente guardados por uma força muito maior e benévola. Ele quer mostrar que não existem somente criaturas terrestres e não terrestres más, como muitos insistem em divulgar. Ele quer mostrar que existem aqueles que sempre nos protegem e querem o nosso bem, em troca somente daquilo que pudermos fazer de bom para o semelhante e para o universo. Ele quer ser mais uma prova e um ajudante na disseminação do amor pelo mundo, que neste momento nem mais sabe o seu significado dada a quantidade de violência e ódio que prosperam na sociedade e nos lares de todo o planeta.


Marcos Costa Lobo dia 18/01/2006 as 20h00´s em frente aos estúdios do complexo Anhanguera do SBT logo após ter sido expulso na tentativa de falar com a antes contatada produção do Programa Domingo Legal

Pensando nisso e como forma de mostrar sua experiência, conseguiu contato com a equipe de produção do programa ”Domingo Legal” – do SBT – para exibir seu trabalho de artista plástico oferecendo uma destas peças artísticas em homenagem ao apresentador ”Gugu Liberato”. Acordada sua ida à São Paulo para este fim com a produção do programa, após levantar patrocínio da operadora de turismo ”The Best – http://www.thebest.tur.br – e da ”Centrais Elétricas de Goiás” – http://www.celg.com.br – para a passagem de ida, embarcou dia 17 rumo ao SBT. Parece que o destino lhe preparou mais das suas. Já no aeroporto de Congonhas, enquanto providenciava o transporte e alguns outros contatos, ”foi assaltado”. Sua bagagem, carteira e anotações com telefones de referência foram levados. Mesmo assim com muito custo, conseguiu apoio da empresa Aérea TAM – http://www.tam.com.br – na pessoa da supervisora Hélem para conduzi-lo até a porta da emissora num taxi (restava-lhe apenas a peça de arte que não foi levada mas era pesada para o transporte convencional de coletivo). A decepção maior ainda estava por vir. Na portaria do SBT no complexo da Anhanguera, ninguém da produção pôde entender o que se passava e uma das tantas a quem lhe foi conduzida acabou por tratar-lhe mau pedindo para que se retirasse do estabelecimento. Agora estava completa a situação : sem dinheiro, sem alimentação, sem muda de roupa e sem rumo é que foi encontrado pela equipe de nosso Portal que tentou sem êxito um contato com alguém da TV que pudesse lhe receber ou ao menos ficar com o presente para ”Augusto Liberato”.

Marcos Costa Lobo deixa aqui seu triste relato como alternativa para o que inicialmente previa, na esperança de ao menos conscientizar os que frequentam e acompanham o Portal Ufo-Gênesis.

Marcos Costa Lobo (Goiânia-Go)

Extraterrestre de 4 metros de Altura Avistado em Rodovia da Itália

 

Reconstrução do Suposto Alien
Crédito da Ilustração

http://www.sulletraccedelmistero.it/

Por Gério Ganimedes (PQA)

De acordo com informação, de um site de notícias italiano, uma criatura estranha e enorme (extraterrestre), teria sido avistada em uma movimentada rodovia na Itália próxima a cidade de Mortegliano. Além da aparição da criatura luzes no céu já teriam sido avistadas, e as testemunhas envolvidas no episódio não conseguiram utilizar seus celulares, que misteriosamente ficaram mudos durante o evento. 

"Criatura de quatro metros de altura e telefones mudos", dizia a notícia do portal italiano 

http://www.ilgazzettino.it/articolo.php?id=181153&sez=NORDEST

A testemunha Leonard D'Andrea (foto), estava dirigindo seu carro pela rodovia, quando foi forçado a parar. “Eu observei que os carros estavam parando, no momento pensei que era um acidente, mas quando me dei conta percebi que haviam três carros, na frente de uma estranha criatura que andava ao longo da estrada. Tinha cerca de quatro metros de altura e estava quieto”.

Crédito: google maps

D'Andrea queria contar ao pai, por telefone o que estava vendo, mas os telefones não estavam funcionando, não havia sinal da operadora. Em seguida, pegou uma lanterna e acendeu em direção à “criatura cinza”, observando que suas pernas estavam ligeiramente curvadas para frente com a parte traseira formada por uma espécie de tendões, muito grandes. “Enquanto o illuminava notou que a cabeça tinha um formato redondo e terminando em forma de cone”. “Esta criatura andou na estrada, não se importando com as pessoas que o olhavam e os carros parados”, lembra a testemunha do avistamento.  A testemunha conta:


“Na minha frente tinha um carro Mazda, com uma família dentro. A mãe escondeu os filhos atrás dos bancos na parte de trás do carro, enquanto duas meninas, que estavam paradas com o carro, atrás de mim, queriam chamar a emergência - 113, mas o telefone não estava funcionando.  Neste momento, a estranha forma fugiu na direção de Lestizza”. Leonard tentou segui-la, mas não teve sucesso. Outras pessoas que vivem na área confirmaram que eles tinham visto algo "estranho”.

http://projetoquartzoazul.blogspot.com/2012/02/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html#ixzz1mYbd1kYe

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Avião ‘escapa de colisão com óvni’ na Escócia

 

Atualizado em  1 de maio, 2013 - 13:39 (Brasília) 16:39 GMT

Foto: Arquivo PA

Avião se aproximava do Aeroporto Internacional de Glasgow quando quase foi atingido por óvni

Um relatório divulgado na Grã-Bretanha revelou que um avião de passageiros quase colidiu no ar com um misterioso objeto voador não identificado (óvni) quando a aeronave, um Airbus A320, estava se preparando para pousar no aeroporto internacional de Glasgow, na Escócia.

Segundo o relatório, preparado pela organização britânica que avalia segurança aérea e investiga casos de quase colisão no país, a UK Airprox Board, o episódio ocorreu em 2 de dezembro do ano passado. O avião já estava com as luzes de pouso acesas, em condições meteorológicas boas e a uma altitude de quase 1,2 mil metros, quando o piloto viu um objeto "emergir à frente".

Notícias relacionadas

 

O objeto teria passado diretamente abaixo da aeronave, a pouco mais de 90 metros de distância, antes que a tripulação tivesse tempo de tomar medidas preventivas (para o caso de uma colisão) ou "realmente registrar" o que seria este objeto.

O óvni não apareceu no radar, e o piloto do Airbus afirmou que o risco de colisão foi "alto".

Tanto os tripulantes quanto o piloto concordam que o objeto parecia ser amarelo e azul e ter uma pequena área frontal, mas era "maior que um balão".

Durante o incidente, o piloto chegou a perguntar a um controlador de tráfego aéreo de Glasgow se ele estava em contato com alguma outra aeronave na área, mas o controlador afirmou que não estava falando com mais ninguém e não tinha registrado nada no radar.

28 segundos

Logo depois da ocorrência foi feita uma busca na região, mas sem resultados.

Os controladores de tráfego aéreo informaram que não obtiveram vestígios de outros objetos na área do incidente. Mas o radar do outro aeroporto de Glasgow, o aeroporto de Prestwick, captou uma "rota não identificada" a 1,3 milha náutica (cerca de 2,4 km) da posição do Airbus A320 apenas 28 segundos antes.

"Parece que escapamos por apenas algumas centenas de pés, veio diretamente abaixo de nós. Onde quer que estivéssemos quando chamamos o controle de tráfego aéreo, (o objeto) estava a cerca de dez segundos (de distância). Não posso dizer em qual direção estava indo, mas veio diretamente abaixo de nós."

Piloto do avião

"Parece que escapamos por apenas algumas centenas de pés, veio diretamente abaixo de nós. Onde quer que estivéssemos quando chamamos o controle de tráfego aéreo, (o objeto) estava a cerca de dez segundos (de distância). Não posso dizer em qual direção estava indo, mas veio diretamente abaixo de nós", disse o piloto quando a aeronave pousou.

Quando perguntado se o objeto poderia ser um "planador ou coisa parecida", o piloto respondeu que "poderia ser um ultraleve. Parecia grande demais para um balão".

Mistério

O relatório informou que os investigadores não conseguiram determinar o que era o objeto.

"A investigação das fontes de vigilância disponíveis não foi capaz de rastrear qualquer atividade que corresponda àquela descrita pelo piloto do A320. Adicionalmente, não havia nenhuma outra informação que indicasse a presença (de outra aeronave) ou atividade na área", afirmou o relatório.

A UK Airprox Board também afirmou que acredita ser improvável que o objeto tenha sido uma aeronave de asas fixas, helicóptero ou balão de ar quente, pois o objeto não apareceu no radar como estes objetos apareceriam.

O relatório também afirmou que um balão meteorológico apareceria no radar. Além disso, um balão destes não teria sido solto naquela região.

A organização não descartou a possibilidade de o óvni ser um planador, mas afirmou que seria improvável a presença de uma aeronave destas na região de Glasgow devido à falta de espaço aéreo e de atividade térmica necessária para o voo de planador. Na época do incidente, Glasgow registrava temperaturas baixas.

Outros tipos de objetos, como uma asa-delta ou semelhantes, apareceriam no radar, segundo a UK Airprox Board.

Da BBC Brasil, enviado por Edilson Aragão