segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017

Noite Oficial dos Óvnis dos EUA

Brincando de esconde-esconde

Na noite de 19 para 20 de julho de 1952, o comando do controle aéreo da capital dos EUA se alvoroçou com o aparecimento de objetos voadores desconhecidos. Às 23:40 horas um grupo de óvnis surgiu nas telas de radar do centro de controle aéreo civil do Aeroporto Nacional de Washington; inicialmente, voaram a baixa velocidade, cerca de 160 a 200 quilômetros por hora, para, em seguida, passarem a desenvolver altíssima velocidade e sumirem, a todo o vapor.

Simultaneamente, tripulações de alguns aviões comerciais comunicaram o aparecimento de luzes misteriosas que atravessavam o espaço aéreo a velocidades variáveis. Os depoimentos prestados por testemunhas em terra confirmaram tais aparecimentos.

Os pilotos Harry Barnes, Ed Nugent, Jim Ritchey e James Copeland não acreditavam naquilo que viam. Entraram em contato com a torre de controle e souberam pelo operador de radar, Howard Cockelin, que aqueles objetos podiam ser vistos também na tela do radar.

"Posso até ver a olho nu um deles; não faço a menor idéia do que seja", disse Howard.

Tensos, os quatro pilotos acompanharam as evoluções dos óvnis durante algum tempo em suas telas a bordo, até que Ritchey observou como um deles se acoplou a um avião comercial, que acabara de decolar. De imediato, ele se comunicou com o comandante daquele avião, um piloto experimentado, chamado Pireman, ao qual indicou a posição do ovni, quando, de um instante para outro, os óvnis desapareceram, sem deixar o menor rastro. Os pilotos ficaram estupefatos.

Naquele momento, Pireman comunicou-se com os colegas e informou ter visto o ovni. Mas, antes que pudesse se aproximar do objeto, este subiu vertiginosamente e desapareceu. Quando, posteriormente, a formação dos óvnis tornou a surgir, Harry Barnes, chefe do controle por radar, preocupado com aqueles aparecimentos, entrou em contato com o Alto Comando da Força Aérea solicitando providências: aproximadamente às 3 horas da madrugada dois caças F-94 subiram em missão de reconhecimento.

Normalmente, uma esquadrilha de caças encarregada da segurança da Casa Branca e do Capitólio se encontra estacionada na base aérea de Bolling, a cerca de 3 quilômetros de distância. No entanto, algumas horas antes do incidente, a esquadrilha foi transferida sigilosamente para o aeroporto do condado de New Castle, em Wilmington, Delaware, a 160 quilômetros de distância, em virtude de obras a serem executadas na base aérea de Bolling. Assim, jatos levaram trinta minutos para percorrer esse trajeto. Ao entrar no espaço aéreo de Washington, foram dirigidos pela torre em direção aos óvnis; porém, tão logo deles se aproximaram, os objetos voadores sumiram com a rapidez de um raio, evitando assim toda possibilidade de contato visual, como se tivessem acompanhando as comunicações de rádio entre a torre de controle e os caças. Naquela mesma hora, testemunhas em terra falaram em "luzes" estranhas, que manobravam nos céus. Entrementes, dois óvnis se separaram do grupo e entraram na zona aérea proibida, sobre a Casa Branca, enquanto o outro evoluiu em círculos sobre o Capitólio.

Durante a noite, os óvnis tornaram a surgir nas telas de radar; um deles foi até observado em três estações de radar do Aeroporto Nacional e da base aérea de Maryland, 5 quilômetros ao norte de Washington. Todavia, sempre que os jatos apareciam nos céus, os óvnis sumiam, inclusive das telas de radar.

Em compensação, chegaram os primeiros comunicados de Newport News, na Virgínia, avisando sobre o aparecimento de objetos voadores desconhecidos, descritos como luzes claras, em rotação, de tonalidades variáveis. Quando, poucos minutos depois, a base aérea de Langley, na Virgínia, comunicou o aparecimento de uma estranha luz no céu, outro caça subiu em missão de reconhecimento. A torre de controle conduziu esse jato em direção aos óvnis, até o comandante ficar bem à frente de um deles; no entanto, o objeto sumiu quando o caça se aproximou, como "se alguém tivesse apagado a luz". Dirigido pelo radar, o comandante conseguiu permanecer acoplado durante alguns minutos ao objeto voador, então invisível para ele. Depois de o caça de reconhecimento ter pousado na base de Langley, os óvnis tornaram a surgir sobre Washington. Houve mais outra missão de reconhecimento. No entanto, dessa vez, os óvnis nem procuraram evitar seus perseguidores, mas, sim, com eles brincaram de esconde-esconde. No instante em que o caça chegou perto de um ovni, para observá-lo mais detidamente, este fugiu a altíssima velocidade, mas, apenas a uma distância suficiente para não poder ser observado de perto. Nesse jogo de esconde-esconde, um dos comandantes percebeu de repente que estava cercado de óvnis por todos os lados. Nervoso, pediu instruções à torre. Antes de recebê-las, porém, os objetos estranhos haviam levantado o cerco e se afastado do caça. Após uns trinta minutos de perseguição inútil, os caças tiveram de voltar à sua base por falta de combustível.

O acontecimento ocupou as manchetes na imprensa internacional, criou tremenda confusão e provocou desmentidos oficiais, tentando restabelecer a calma e serenar os ânimos. No entanto, com isso o fenômeno não chegou a ser explicado, pois deixaram de ser divulgadas informações convincentes a seu respeito. O Pentágono recebeu consultas de toda parte, inclusive do ex-Presidente Harry Truman.

O incidente revestiu-se de importância especial, pelo fato de testemunhas oculares no solo, no ar e diante das telas de radar terem prestado depoimentos coincidentes; até a cor dos estranhos objetos voadores foi unanimemente descrita como variando de laranja para verde e vermelho.

Por fim, pressionada pela opinião pública, a Força Aérea resolveu tomar uma atitude. O chefe do estado-maior, Tenente-General Nathan Twining, convocou uma entrevista coletiva com a imprensa. Era necessário desfazer apreensões e desmentir rumores. Foi a mais longa entrevista coletiva concedida pela Força Aérea depois do fim da Segunda Guerra Mundial; realizou-se em 29 de julho de 1952 e nela falaram, entre outros, o Major-General John A. Samford, diretor do Serviço de Inteligência da Força Aérea, o Major-General Roger A. Ramey, chefe do Comando da Defesa Aérea, e o Capitão Ed Ruppelt, do Projeto Livro Azul.

Samford iniciou a entrevista de maneira bastante habilidosa, anunciando que, segundo a Força Aérea, esses fenômenos seriam simples. As instalações de radar teriam captado luzes no solo, refletidas por uma camada de ar frio entre duas camadas de ar quente, resultando dali as chamadas inversões térmicas.

As perguntas precisas dos repórteres receberam respostas evasivas, pouco explícitas. Dessa forma, Samford anunciou a intenção da Força Aérea de encarregar um cientista autônomo das investigações dos aparecimentos registrados em Washington (e ficou nisso mesmo).

Quando os jornalistas argumentaram que alguns comandantes dos aviões comerciais tinham, de fato, visto os objetos com seus próprios olhos, Samford não soube responder e acabou admitindo que nem a Força Aérea sabe explicar tal fenômeno. Por fim, procurando uma saída honrosa, declarou que jamais astrônomo algum observou um ovni — o que, em absoluto, não condiz com os fatos.

Em todo caso, Samford deveria ter procurado informar-se melhor sobre o assunto, antes de convocar aquela entrevista coletiva. Por exemplo, ele nada sabia dos aparecimentos de óvnis, observados pelo seu célebre conterrâneo, o astrônomo Prof. Clyde Tombaugh, que, em 1930, descobriu o planeta Plutão e, temporariamente, assessorou o governo dos EUA em assuntos cósmicos! Certa noite, em 10 de agosto de 1949, Tombaugh avistou um ovni do terraço de sua casa, em Las Cruces, Novo México. Aproximadamente às 22:45 horas, observou no céu um objeto escuro semelhante a um charuto e nele distinguiu pelo menos uma fileira de aberturas redondas, brilhantes, dispostas do centro para a frente. Em depoimento posterior, Tombaugh falou que também poderiam ter sido janelas quadradas.

Aliás, esse breve comentário vale tão-somente por uma nota de rodapé.

Voltemos para Samford e sua entrevista à imprensa. Ele anunciou então que a Força Aérea recebeu numerosos relatos de óvnis, redigidos por "observadores fidedignos, expondo fatos relativamente inacreditáveis". Com isso, ele se referiu a cerca de 20 por cento de todos os relatos recebidos. Contudo, Samford frisou e repisou o ponto de os óvnis não representarem, de maneira alguma, qualquer ameaça à segurança nacional.

Essa declaração era um tanto paradoxal, pois, na véspera daquela entrevista coletiva, começou a circular um rumor segundo o qual, em função de novas instruções baixadas pela Força Aérea, os comandantes dos aviões em missão de reconhecimento teriam de abrir fogo contra óvnis que se recusassem a aterrizar. Assim, a "explicação de emergência" dada por Samford, quando falou em "inversões térmicas", ficou completamente desmentida; a não ser que Samford estivesse de posse das "mais recentes noções científicas", prevendo a eventualidade de "inversões térmicas" aparecerem em formação militar e poderem ser derrubadas ou obrigadas a aterrizar. Nesse caso, Samford ainda ficaria devendo a explicação do motivo por que os caças foram mobilizados para perseguir um tal "fenômeno meteorológico".

Tampouco se falou na razão pela qual, justamente naqueles aparecimentos sobre Washington, operadores de radar e técnicos experimentados teriam confundido inversões térmicas com naves espaciais extraterrestres. Nem antes, nem depois do incidente registrado sobre Washington, os peritos e pilotos fizeram tal confusão e, evidentemente, eles protestaram energicamente contra tal imputação, como, aliás, não poderiam deixar de fazê-lo. Afinal de contas, as velocidades dos objetos voadores desconhecidos computadas pelo radar passaram de 150 para 11 000 quilômetros por hora em poucos segundos, quando, simultaneamente, a velocidade do vento alcançou apenas 35 quilômetros por hora. Da mesma forma, a opinião pública também ignorou o fato de o aparecimento nos céus de Washington não ter sido o único registrado naqueles dias. A esse respeito, Samford não fez comentário algum por ocasião da entrevista coletiva, assistida por uns cinqüenta jornalistas.

Por exemplo, um relato oficial sigiloso menciona que, em 23 de julho, objetos de brilho azul-esverdeado foram avistados sobre Boston e detectados pelo radar. Um comandante de F-94 em missão de reconhecimento comunicou logo após a sua decolagem a tomada de contato visual com os óvnis; porém, eles se evadiram manobrando a uma incrível velocidade.

Fonte: Livro de:

Johannes von Buttlar

O FENÔMENO UFO

Título do original: "Das UFO-Phänomen"

Copyright © 1978 by C, Bertelsmann Verlag GmbH, Munique

Tradução: Trude von Laschan Solstein Arneitz

sábado, 29 de julho de 2017

As coisas boas da ufologia

DSC00426

Gilberto, Sidney, Jacinto, Gerson, Jânder e Mendonça

As reuniões do CSPU fazem acontecer encontros como este, onde se juntam pessoas graduadas em academias diversas onde o papo gira  em torno de temas ufológicos, que por conseguinte, envolvem ciências as mais variadas como: Física Quântica, História Humana, Teologia e Espiritismo. O debate acontecido em nossa reunião de ontem no CSPU, envolveu esses e outros temas

Vale a pena lembrar momentos bons do CSPU

A imagem pode conter: 13 pessoasCélio Cavalcante Pesquisador Pré-história CENTRO SOBRALENSE DE PESQUISA UFOLÓGICA-CSPU

31 de agosto de 2013 ·

CSPU ENCERROU SUA ÚLTIMA REUNIÃO DO MÊS COM A PALESTRA DO PESQUISADOR DA PRÉ-HISTÓRIA CÉLIO CAVALCANTE QUE FALOU SOBRE OS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS VISITADO POR UFÓLOGOS SOBRALENSE - O Centro Sobralense de Pesquisa Ufológica-CSPU, realizou sua última reunião do mês de agosto nesta sexta feira 30 com a palestra do pesquisador da Pré-história Célio Cavalcante, que mostrou em um data show, suas experiências de campo com algumas descobertas de Sítios Arqueológicos de pinturas e gravuras rupestres encontrado por ele em quase todos os municípios cearenses. O Presidente do CSPU o intelectual Policial Federal Jacinto Pereira principiou a reunião abordando a casuísticos Óvnis que envolveram alguns registros por pessoas no mês de agosto de 2013, com os casos de Forquilha e Santa Quitéria no Ceará. Continuar lendo a matéria com todas as fotografias no site: http://forquilhaontemhojeesempre.blogspot.com.br/2013/08/cspu-encerrou-sua-ultima-reuniao-do-mes.html

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Cosmos XII - Palestra OVNIS: antigos enigmas x novas descobertas

PALESTRA NA FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Convite para reunião ufológica


Written by jpsouza. Posted in Sem categoria

1987connecticut Link da foto: http://www.desocultando.com.br/10-fotos-de-ovnis-consideradas-reais-ate-hoje/8/

Ufólogos e simpatizantes da Ufologia, hoje teremos mais uma reunião do CSPU – Centro Sobralense de Pesquisas Ufológicas. Acontecerá na Rua Coronel Diogo Gomes 998 Centro, Sobral. Estaremos no local a partir das 19 horas. Será uma boa oportunidade para questionar os ufólogos sobre o tema Ufologia. Quem tiver algum informa sobre Discos voadores, vem socializar conosco e ouvir os informes dos outros participantes. Talvez você queira discutir ou questionar as publicações deste site, essa será uma ótima oportunidade para isso. Mais informações pelos 88 999210172 e 988477189. Um abraço a todos Jacinto Pereira, coordenador das reuniões do CSPU

quarta-feira, 26 de julho de 2017

PALESTRA ABERTURA UFOLÓGICA BRASILEIRA



Esta
é a palestra que fiz no V Congresso Internacional de Projeciologia
(CIPRO), realizado pelo Centro de Altos Estudos da Conscienciologia
(CEAEC) em Foz do Iguaçu, no começo de novembro. Abordo e descrevo como
foi construída a campanha "UFOs: Liberdade de Informações Já", que levou
o Governo Brasileiro a abrir 5 mil páginas de documentos ufológicos
antes secretos.

XXI Congresso Brasileiro de Ufologia


Hotel Nacional Inn, Campinas, de 22 a 24 de setembro

Campinas sediará, de 22 a 24 de setembro, o XXI Congresso Brasileiro de Ufologia, simultaneamente ao I Encontro de Ufologia Avançada de Campinas, no Hotel Nacional Inn do Bairro Trevo. É o primeiro grande evento sobre Ufologia a ocorrer no interior de São Paulo. O Congresso reunirá 14 conferencistas de todo o Brasil e ainda um especialista em agroglifos, ou círculos ingleses, vindo da Inglaterra, o autor e pesquisador Gary King. Esta é uma promoção da Revista UFO, a mais antiga publicação sobre discos voadores do mundo.

O evento contemplará os mais variados temas da Ufologia, como abduções alienígenas, casuística ufológica, contatos diretos e canalização, Ufologia e espiritualidade, geração de híbridos, agroglifos etc. Entre os conferencistas estão grandes nomes da Ufologia Brasileira, como Mônica de Medeiros, Marco Petit, Toni Inajar Kurowski, Thiago L. Ticchetti, Margarete Áquila, A. J. Gevaerd etc. Não perca esta oportunidade de estar lado a lado, durante três dias, com os mais respeitados ufólogos brasileiros.

O XXI Congresso Brasileiro de Ufologia é aberto à população mediante inscrições antecipadas no site oficial (abaixo). As inscrições estão abertas, mas as vagas são limitadas a 350 pessoas. Além das 15 palestras, haverá também um jantar de confraternização com todos os conferencistas e um workshop sobre Exopolítica e Exodireito, proferido pelo advogado paranaense e doutor em Direito Flori Antonio Tasca, especialista no assunto.

Informações e inscrições no XXI Congresso Brasileiro de Ufologia:
www.ufologiabrasileira.com.br

Este email foi enviado seguindo as regras anti-spam.

terça-feira, 25 de julho de 2017

A Ponte construída há 1,7 milhões de anos que pode mudar toda a história...

(Incrivél) Extraterrestre Ataca Pessoas Provas Reais - Ovnis

UFOS Perseguições, Mortes e Acobertamentos reportagens, OVNIS

Coronel Uyrangê Hollanda revela o que aconteceu na Operação Prato

O Relato da Abdução de Antônio Nelso Tasca

A Incrível Abdução De Onílson Páttero

A verdade por trás dos OVNIS. Documentário dublado.

Convite para reunião ufológica

 

1987connecticut

Link da foto: http://www.desocultando.com.br/10-fotos-de-ovnis-consideradas-reais-ate-hoje/8/

Ufólogos e simpatizantes da Ufologia, na próxima sexta (28) teremos mais uma reunião do CSPU - Centro Sobralense de Pesquisas Ufológicas. Acontecerá na Rua Coronel Diogo Gomes 998 Centro, Sobral. Será uma boa oportunidade para questionar os ufólogos sobre o tema Ufologia. Quem tiver algum informa sobre Discos voadores, vem socializar conosco e ouvir os informes dos outros participantes. Talvez você queira discutir ou questionar as publicações deste site, essa será uma ótima oportunidade para isso. Mais informações pelos 88 999210172 e 988477189.

Um abraço a todos

Jacinto Pereira, coordenador das reuniões do CSPU

(Incrivél) Os Lugares do Mundo de Maior Atividades de Óvnis e Extraterre...

domingo, 23 de julho de 2017

Enoque - A História Que Você Não Sabia



Publicado em 6 de mai de 2017
Este
vídeo tem como objetivo contar a história de Enoque de acordo com os
manuscritos do Mar Morto. É utilizado forma poética para descrever os
fatos, podendo em alguns pontos possuir interpretação pessoal do autor
do vídeo.

Buzz Aldrin abriu o Bico e Revelou ser o ALIENÍGENA que Pisou na Lua, Se...

terça-feira, 11 de julho de 2017

Reunião do CSPU foi muito especial para mim

No dia 30, aconteceu nossa reunião do CSPU e durante a reunião eu fui agraciado com uma festa de aniversário. Muito obrigada à minha esposa Lucimar e a sua irmã Francisca Cleia, por esse presente. Muito obrigado também ao Dennis pelas fotos. Sem contar a festa, nossa reunião foi muito boa, muito obrigado a todos que compareceram.

Um grande abraço a todos.

Jacinto Pereira

segunda-feira, 10 de julho de 2017

'Tripulação começou a gritar': Reino Unido desclassifica seus arquivos sobre OVNIs


OVNIs, imagem referencial

CC BY 2.0 / Emil Indricau / UFO

Mundo insólito

08:00 10.07.2017(atualizado 09:02 10.07.2017) URL curta

2100320

O governo britânico desclassificou em julho um novo lote de documentos oficiais, onde fala sobre o encontro entre um avião norte-americano e um "objeto voador não identificado", no Mediterrâneo, em 19 de outubro de 1982.

OVNIs, ilustração

CC0 / masbt / UFO2

Documentos secretos da CIA explicam por que ETs têm tanto interesse na Terra

Os documentos são compostos de centenas de páginas, entre as quais aparece o episódio. Segundo o governo britânico, um avião de espionagem militar norte-americano RC-135, que estava realizando uma operação de reconhecimento durante a Guerra Fria, encontrou-se com um objeto não identificado perto da ilha do Chipre, às 16h00 no horário local.

Os documentos revelam que a tripulação do RC-135 "começou a gritar" pedindo ajuda, quando viu um objeto que "emitia 20 luzes intermitentes" a cerca de 10.000 metros de altitude.

O OVNI foi detectado pelo radar do avião norte-americano e pôde ser visto durante 90 minutos por toda a tripulação, incluindo os pilotos, segundo os quais, o OVNI envolveu o avião.

Extraterrestre

CC BY 2.0 / Interdimensional Guardians / et787 Interdimensional Guardians

Em resposta a hackers, NASA revela dados chocantes sobre ETs

Os detalhes do encontro foram recolhidos pelas forças britânicas em uma base militar no Chipre. O episódio fez com que as forças norte-americanas enviassem para a área do encontro dois caças F-14 de um porta-aviões, juntamente com Phantom britânico.

De acordo com os documentos, nenhum deles conseguiu ver nada, já que, de acordo com a tripulação do RC-135, o objeto "foi embora voando em direção à África".

Avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA RC-135 (foto de arquivo)

© AFP 2017/ GREG DAVIS / USAF

Avião de reconhecimento da Força Aérea dos EUA RC-135 (foto de arquivo)

O encontro foi investigado pelo Ministério da Defesa britânico durante as semanas seguintes e, em novembro desse mesmo ano, suas conclusões foram enviadas ao Departamento de Defesa norte-americano, mas não foram publicados.

David Clarke, um conhecido pesquisador de OVNIs, teve acesso aos documentos. Clark ressalta que os arquivos possuem imagens do evento e o áudio da tripulação do RC-135.

Misteriosos objetos luminosos no céu de Las Vegas

© Foto: YouTube/Steven Barone/ Captura do Ecrã

OVNIS? Misteriosos objetos luminosos fazem show aéreo no céu dos EUA (VÍDEO)

Não obstante, de acordo com um testemunho de um oficial da Força Aérea Real britânica, que também aparece nos arquivos, o encontro poderia ter sido tratado de algo imprevisto.

"Temos razões sérias para pensar que a visão do 'OVNI' não era outra coisa que um efeito ótico causado pelas luzes da costa libanesa ou israelense."

Apesar de o Ministério da Defesa britânico ter desclassificado estes documentos, os mesmos não foram digitalizados como os outros, sendo indispensável visitar os Arquivos Nacionais de Londres para acessá-los. Tal decisão britânica gerou ainda mais suspense ao redor dos papéis sobre OVNIs.

Fonte: https://br.sputniknews.com/mundo_insolito/201707108831980-documentos-secretos-britanicos-ovnis/