domingo, 23 de abril de 2017

Como Relatar um Avistamento de OVNI


Algumas normas simples de como relatar a observação de Objectos Voadores Não Identicados.
Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) são de origem desconhecida e não tem uma identificação. Caso tenha visto um, você pode ter informações que as autoridades competentes considerariam muito interessante. Você precisa apenas transformar sua experiência em um relato coeso e entregá-lo às pessoas certas. Caso ele seja suficientemente convincente, você pode até mesmo receber uma resposta. Então agarre caneta e papel, pois você tem alguns detalhes para discutir.

1
Escreva imediatamente os dados básico da sua experiência. Independente de onde vá apresentar seu relatório, você precisa seguir a mesma estrutura básica. É melhor fazer isso logo após o avistamento, assim tudo ainda estará fresco em sua cabeça. Quanto mais recente, mais exato possível. Você usará essas informações para apresentar seu relatório aos órgãos específicos. Seguem os dados pelos quais deve começar: [1]
Número de testemunhas (para ser válido, deve existir ao menos outra pessoa)
Horário
Localização (se você viver perto de uma base aérea, ou local similar, seu relato pode ser descartado)
Número de objetos avistados
“Não” inclua suas informações pessoais no corpo do relatório. Isso terá que ser removido posteriormente.

2
Inclua quantos detalhes sobre o objeto forem possíveis. Quando mais detalhes você tiver, mais convincente sua história será (ou mais fácil será determinar se é alguma outra coisa). Lembre-se da sua experiência. Existem aspectos que você deve cobrir:
Luzes (Quantas existiam? Elas piscavam, ou eram sólidas?)
Cores (As cores mudavam?)
Brilho (compare com outro objeto, se possível)
Movimento (Quão rápido se movia? Movia-se para cima e para baixo? Para frente e para trás? Suavemente, ou erraticamente?)
Comportamento (O objeto se moveu, ou aterrissou, emitiu luz, sons, ou liberou outros objetos?)
Interações com o espaço (Ele se envolveu com alguma outra aeronave nas proximidades, produziu efeitos elétricos, ou magnéticos, como desligar o motor de um carro?)
Rastro, névoa, etc. (Existia alguma aura, ou névoa ao redor do objeto, alguma nuvem, ou rastro de fumaça deixado pelo objeto?)

3
Anote seu tamanho e o quão distante o objeto estava. Pense em segurar um objeto com o braço esticado, bloqueando a vista do OVNI. [2] Você precisou de uma moeda? Um biscoito? Uma bandeja? Algo entre os dois? Isso deve ser o mais preciso que conseguir.
Pense nos outros objetos ao redor para determinar o quão distante ele estava. Estava logo acima das árvores? Das montanhas? Dos fios de eletricidade? Torre de Satélite? Isso pode ajudá-lo a avaliar a distância aparente.

4
Inclua detalhes sobre o formato da aeronave. Existem alguns padrões comuns atualmente conhecidos – sua experiência coincide com alguma dessas formas?
“Pires”: existem três variedades – abobadado (estereotípico), lenticular (formato de pistache) e lenticular com uma cúpula
“Chapéu”: existem três variedades – chapéu cônico, chapéu duplo e chapéu de palha com o topo plano
“Esférica”: uma forma circular padrão
“Saturno”: na forma do planeta, como se o objeto tivesse anéis
“Elipsoidal”: forma oval ao pairar e de bola de futebol americano durante o voo
“Cilíndrica”: o objeto se parece com um cigarro gigante
“Dirigível”: em forma de uma bala pontuda; geralmente seguida por uma cauda luminosa
“Triangular/bumerangue”: com pontas, ou em forma de V, como um bumerangue.

5
Anote o clima e o horário do avistamento. Quanto melhor o clima (poucas nuvens, sem chuva, etc.) mais confiável será sua história e mais difícil será argumentar que você não viu aquilo que diz ter visto. Contudo, que seja dito – não se sinta tentado a mentir se o clima estava ruim; é muito fácil descobrir como estava o tempo nesse dia, se for preciso.
Caso o dia estava nublado, ou chuvoso, explique como isso afetou sua visão. Isso obscureceu alguma coisa, mesmo que seja parcialmente, de sua vista? Alguma coisa mudou quando as nuvens se dissiparam e a chuva parou? O que você viu poderia ser uma distorção visual causada pelas nuvens, ou outro fenômeno natural?

6
Inclua alguma foto, ou vídeo. Uma das formas mais efetivas de tornar seu avistamento convincente é incluir fotos, ou vídeos – isto é, “boas” fotos, ou vídeos. Não perca tempo fabricando algo – fraudes sobre OVNIs existem há tempo suficiente para a maioria já ter sido desmascarada.
As melhores fotos “não são” digitais. De fato, negativos (em um filme tangível) são as melhores formas de provar que uma foto não foi adulterada. Caso seja digital, não pense em alterar nem mesmo seu tamanho. Caso suas configurações originais sejam alteradas, mesmos mínimos detalhes, ela pode ser descartada.
Os melhores vídeos são aqueles com outros objetos de referência e o enquadramento deve ser fixo, assim você poderá ver o movimento do OVNI, ao invés do vídeo ficar se mexendo junto com ele.

7
Tome nota de todos os impedimentos que enfrentou no momento. Seus sentidos foram prejudicados, ou impedidos? Esses podem ser pontos similares aqueles que um agente da lei abordaria. Pense nos seguintes detalhes (e seja honesto):
Objetos entre você e o OVNI que atrapalharam sua visão
Caso estivesse usando lentes de contatos, ou óculos no momento do avistamento
Caso estivesse usando fones de ouvido, ou algo que impediu, ou atrapalhou sua audição.
Caso estivesse resfriado, ou alguma coisa que impedia seu olfato de funcionar adequadamente
Caso estivesse tomando medicamentos prescritos, ou sob influência de álcool, ou outras drogas.

8
Escreva isso tudo em um relatório coerente e envolvente. Quebre os parágrafos para torná-lo mais fácil de ler. Inclua qualquer conhecimento específico que possua em sua formação, que contribua para a sua história (por exemplo, se você for um piloto, ou tenha treinamento mecânico, ou de voo).
Ele não tem que ser extravagante, mas deve ser digitado (você provavelmente terá que submetê-lo online, assim pode apenas copiar e colar) e revisado. Quanto melhor elaborado, mais a sério será levado.

9
Esteja pronto para mais questões, ou solicitação de evidências. Caso seu relatório seja válido e intrigante, você pode ser convidado a dar uma entrevista. Caso o processo continue, sua câmera pode ser requerida e você pode até mesmo ser interrogado sob juramento. Esse tipo de coisa é levado muito a sério; caso esteja apenas fazendo uma brincadeira, será descoberto.
Caso prefira permanecer anônimo, a maioria (se não todos) os formulários podem acomodá-lo. Isso não afetará como seu relatório será processado. Apenas em raras situações será solicitado que se identifique (caso você tenha uma filmagem inquestionável, por exemplo).
Nunca pague ninguém para exibir sua experiência. Existem toneladas de websites por aí que são fraudulentos. Caso tenha vivenciado uma experiência verdadeira, apenas recorre às fontes confiáveis. Faça sua pesquisa antecipadamente e nunca autorize ninguém a “vender sua história” por você. Ela é sua. Você deve fazer o que quiser com ela.

Esteja preparado para os opositores. Quando um assunto sobre algo sobrenatural aparece, as pessoas assumem um dos lados da questão. Existirão aqueles que escutarão sua história e vão considerar que você está comprovadamente louco, e isso é normal. Também existirão aqueles que serão inspirados e desejarão ter sua própria experiência. Não deixe que nenhuma dessas opiniões influencie você. O que eles pensam não é importante, de qualquer forma.
Quando mais visibilidade alcançar (TV, YouTube, etc.) mais opositores existirão. Em certas situações, pode haver certa repercussão. Caso esteja preocupado sobre isso, deixe seu nome fora da questão. Contudo, a maioria dos casos não recebe publicidade suficiente para que isso se torne um problema.
Fonte
Em caso de observação entre em contacto com o UFO Portugal Network
Email: ufo_portugal@sapo.pt
http://ufoportugal.blogspot.com.br/
Grifo Meu: O CSPU também gostaria de receber informações assim

Nenhum comentário:

Postar um comentário