quarta-feira, 18 de maio de 2022

Pela primeira vez, Pentágono fala sobre o avistamento de 400 OVNIs: ‘Queremos saber o que está lá fora’


Altos funcionários do Pentágono disseram a um painel da Câmara na terça-feira que agora existem cerca de 400 relatórios de militares de possíveis encontros com OVNIs – um aumento significativo dos 144 rastreados em um grande relatório divulgado no ano passado pela comunidade de inteligência dos EUA.

Um oficial da Marinha também disse na audiência de terça-feira que os investigadores estão “razoavelmente confiantes” de que os objetos flutuantes em forma de pirâmide capturados em um vídeo militar vazado e amplamente visto eram provavelmente drones.

Essas imagens, que os militares confirmaram no ano passado serem autênticas, ajudaram a estimular o interesse em supostos OVNIs , também chamados de “fenômenos aéreos não identificados” ou UAPs.

O deputado de Indiana André Carson, presidente democrata do Subcomitê de Contraterrorismo, Contrainteligência e Contraproliferação de Inteligência da Câmara, convocou a audiência de terça-feira, a primeira em mais de 50 anos focada nos incidentes aéreos.

Os UAPs, disse Carson, “são uma ameaça potencial à segurança nacional e precisam ser tratados dessa maneira”.

“Por muito tempo, o estigma associado aos UAPs ficou no caminho da boa análise de inteligência”, acrescentou. “Os pilotos evitavam reportar ou eram ridicularizados quando o faziam.”

FOTO: O vice-diretor de inteligência naval Scott Bray explica um vídeo de fenômenos aéreos não identificados, como ele testemunha diante de uma audiência do subcomitê de inteligência da Câmara no Capitólio dos EUA em 17 de maio de 2022 em Washington, DC.Kevin Dietsch/Getty ImagesKevin Dietsch/Getty ImagesO vice-diretor de inteligência naval Scott Bray explica um vídeo de fenômenos aéreos não identificados, como ele testemunha perante uma audiência do subcomitê de inteligência da Câmara no Capitólio dos EUA em 17 de maio de 2022 em Washington, DC.Read More

O número de relatórios de UAP aumentou para “aproximadamente 400”, um aumento significativo dos 144 entre 2004 e 2021 que foram rastreados no relatório do ano passado, de acordo com Scott Bray, vice-diretor de Inteligência Naval. Bray disse ao painel da Câmara que o aumento se deve a uma redução no estigma associado ao avanço para relatar esses incidentes após o relatório de 2021.

“Vimos um número crescente de aeronaves ou objetos não autorizados e ou não identificados e áreas de treinamento de controle militar e áreas de treinamento e outros espaços aéreos designados”, disse Bray. “Relatos de avistamentos são frequentes e contínuos.”

Mas Bray acredita que muitas das contas recém-divulgadas são na verdade “relatos históricos baseados em narrativas” de incidentes anteriores que as pessoas só agora estão apresentando, o que o leva a acreditar que haverá menos novas contas no futuro.

O relatório de inteligência do ano passado só podia explicar um dos 144 encontros documentados e não continha as palavras “alienígena” ou “extraterrestre”. O relatório afirmou então que os incidentes de UAP exigiriam um estudo mais aprofundado.

Na audiência de terça-feira, Bray repetiu a conclusão do ano passado de que a maioria dos fenômenos eram provavelmente objetos físicos e observou que “a força-tarefa do UAP não tem nenhum destroço que … não seja consistente com uma origem terrestre”.

Mesmo assim, disse Bray, as perguntas permanecem.

“Não posso apontar algo que definitivamente não foi feito pelo homem, mas posso apontar vários exemplos que permanecem sem solução”, disse Bray, citando um vídeo de um incidente de 2004 no qual um piloto da Marinha gravou um incomum, Tic Tac. -como objeto sobre a água.

“Queremos saber o que está por aí tanto quanto você quer saber o que está por aí”, disse Ronald Moultrie, o principal oficial de inteligência do Pentágono, que também testemunhou na audiência.

Moultrie disse que o Pentágono está estabelecendo um escritório para acelerar “a identificação de objetos aéreos anteriormente desconhecidos ou não identificados de maneira metódica, lógica e padronizada”.

“Também entendemos que houve um estigma cultural em torno da UAP”, disse Moultrie. “Nosso objetivo é eliminar o estigma incorporando totalmente nossos operadores e pessoal da missão em um processo padronizado de coleta de dados”.

“Nosso objetivo é atingir esse equilíbrio delicado: um que nos permita manter a confiança do público, preservando as capacidades que são vitais para o suporte de nosso pessoal de serviço”, disse ele.

Bray disse que “as tripulações da Marinha e da Força Aérea agora têm procedimentos passo a passo para relatar um UAP em sua prancha no cockpit” e que esses esforços levaram a mais relatórios.

FOTO: O vice-diretor de inteligência naval Scott Bray, à esquerda, e o subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança Ronald Moultrie, falam durante uma audiência no Capitólio, 17 de maio de 2022, em Washington, DCAlex Brandon/APAlex Brandon/APO vice-diretor de Inteligência Naval Scott Bray, à esquerda, e o subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança Ronald Moultrie, falam durante uma audiência do Subcomitê de Inteligência, Contraterrorismo, Contrainteligência e Contraproliferação da Câmara sobre “Fenômenos Aéreos Não Identificados”, no Capitólio, 17 de maio de 2022, em Washington, DCRead More

O interesse cada vez mais popular em OVNIs e OVNIs foi desencadeado nos últimos anos por vazamentos de vídeos antes classificados e pela divulgação de imagens da Marinha dos próprios encontros de seus pilotos.

Na audiência de terça-feira, os oficiais de defesa exibiram três clipes para ajudar a explicar quão breves os incidentes aéreos podem ser, tornando muito difícil determinar o que foi visto nos vídeos.

Em um dos casos mais notáveis, os funcionários detalharam como “esforço considerável” foi feito para determinar uma teoria para o que foi observado.

Bray reproduziu imagens tiradas em julho de 2019 na costa da Califórnia do convés do destróier USS Russell que pareciam mostrar vários objetos em forma de pirâmide pairando acima do navio.

Bray reconheceu que os investigadores não tinham inicialmente uma explicação para o que foi visto no vídeo do escopo da noite verde – até que eles puderam compará-lo com um vídeo mais recente de um incidente que ocorreu na costa do Oceano Atlântico.

As autoridades que assistiram ao vídeo encontraram uma forma de pirâmide semelhante. Eles concluíram que os fenômenos provavelmente eram de drones que haviam sido vistos em sensores de outro ativo da Marinha.

“Agora estamos razoavelmente confiantes de que esses triângulos se correlacionam com sistemas aéreos não tripulados na área”, explicou Bray. “A aparência triangular é resultado da luz que passa pelos óculos de visão noturna e depois é gravada por uma câmera SLR”.

“Este é um ótimo exemplo de como é preciso um esforço considerável para entender o que estamos vendo nos exemplos que podemos coletar”, acrescentou.

Antes da audiência, Jeremy Corbell, um documentarista e entusiasta de OVNIs que tornou público o vídeo da “pirâmide” no ano passado, disse que estava feliz em ver o aumento da conscientização e da ação do governo.

FOTO: O subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança Ronald Moultrie, à direita, e o vice-diretor de inteligência naval Scott Bray falam com um UAP em uma tela, durante uma audiência no Capitólio, 17 de maio de 2022, em Washington, DCAlex Brandon/APAlex Brandon/APO subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança Ronald Moultrie, à direita, e o vice-diretor de Inteligência Naval Scott Bray falam com um UAP em uma tela, durante uma audiência do Subcomitê de Inteligência, Contraterrorismo, Contrainteligência e Contraproliferação da Câmara sobre “Fenômenos Aéreos Não Identificados ,” no Capitólio, 17 de maio de 2022, em Washington, DCRead More

“O que é tão bom é que esta é uma resposta direta à vontade do público”, disse Corbell à ABC News. “É uma resposta direta à pressão pública. É um governo representativo que representa os cidadãos e seus interesses.”

“Sinto-me encorajado pelo desejo público de conhecer e descobrir a verdade do que os OVNIs representam para a humanidade”, disse Corbell na época. “É a maior história do nosso tempo. E finalmente estamos começando a ter a conversa sem ridículo e estigma que tanto prejudicou a busca pela verdade científica sobre esse assunto.”

Moultrie, o funcionário do Pentágono, disse na audiência de terça-feira que não estava imune a um pouco do zelo como fã de ficção científica.

“Tenho ido a convenções – vou dizer isso no registro. Tenho que quebrar o gelo de alguma forma”, disse ele ao painel em uma linha de questionamento alegre, acrescentando: “Nós temos nossa curiosidade. Questões.”

Fonte: https://tonocosmos.com.br/pela-primeira-vez-pentagono-fala-sobre-o-avistamento-de-400-ovnis-queremos-saber-o-que-esta-la-fora?fbclid=IwAR2W0SEbovVMvcHaoLQeeFV2ZmWzWDg07rwzStvg95bM-RA1_kvbFQijBHs

domingo, 17 de abril de 2022

Objeto interestelar caiu na Terra e segredo impediu divulgação


16/04/2022

Por: Redação Vigília

Objeto interestelar caiu na Terra e segredo impediu divulgação Imagem de Alexander Antropov por Pixabay

Compartilhe:

O Comando Espacial dos Estados Unidos (USSC) admitiu conhecimento de que um objeto de outro sistema estelar caiu na Terra em 2014. O tema foi abordado em um memorando recém liberado pelo órgão. Informações secretas mantiveram a confirmação do episódio longe do público desde 2019.

O meteoro brilhou como uma bola de fogo nos céus perto de Papua Nova Guiné, afirma o documento, e possivelmente espalhou detritos interestelares ao sul do Oceano Pacífico. A confirmação parece tirar o propalado pioneirismo da detecção do primeiro objeto interestelar a passar perto do nosso planeta, o exótico ‘Oumuamua, em 2017.

Não apenas este seria o primeiro viajante interestelar corretamente identificado como, também, o primeiro do tipo identificado ao atingir nossa atmosfera. A descoberta foi apontada por pesquisadores da Universidade de Harvard em um estudo depositado no servidor de pré-impressão de artigos científicos arXiv, em 2019.

Amir Siraj, estudante de astrofísica em Harvard, liderou a pesquisa junto com Avi Loeb, ex-diretor de astrofísica da mesma instituição. Loeb é um dos principais divulgadores da tese de que ‘Oumuamua poderia se tratar, na verdade, de uma espécie de artefato extraterrestre avançado. Recentemente o ex-diretor de Harvard lançou uma empreitada denominada “Projeto Galileo”, para investigar abertamente os UAPs, de um ponto de vista científico. Siraj também juntou-se ao Projeto Galileo, na condição de diretor de estudos de objetos interestelares.

O estudo sobre o provável visitante interestelar mais antigo, que media apenas alguns metros de largura, aguarda revisão por pares e publicação há anos. Sua divulgação foi prejudicada por circunstâncias que surgiram relacionadas à novidade da descoberta em si, mas também por obstáculos colocados pelo envolvimento de informações classificadas pelo governo dos EUA.

“Eu me divirto só de pensar no fato de que temos material interestelar que foi entregue à Terra e sabemos onde está”, disse Siraj em entrevista ao site Motherboard, na Vice, em matéria da jornalista Becky Ferreira.

“Uma coisa que vou verificar — e já estou conversando com as pessoas — é se é possível vasculhar o fundo do oceano na costa de Papua Nova Guiné e ver se conseguimos algum fragmento”, disse.

No entanto, o cientista reconhece que as chances disso acontecer são baixas, porque quaisquer fragmentos remanescentes da explosão da bola de fogo provavelmente caíram em pequenas quantidades em uma região enorme do oceano, tornando difícil rastreá-los.

“Seria um grande empreendimento, mas vamos analisá-lo com extrema profundidade porque a possibilidade de obter o primeiro pedaço de material interestelar é empolgante o suficiente para verificar isso minuciosamente e conversar com todos os especialistas mundiais em expedições oceânicas para recuperar meteoritos”, observou.

Siraj e o co-autor do estudo Avi Loeb, foram inspirados a procurar por potenciais meteoros interestelares após a descoberta do ‘Oumuamua. Siraj sugeriu que vasculhassem um banco de dados de bólidos e impactos de meteoros administrado pelo Center for Near Earth Objects (CNEOS), da NASA.

Trâmite embargado por usar dados secretos

O banco de dados registrou quase 1.000 impactos, mas a bola de fogo que explodiu perto da Ilha Manus em 8 de janeiro de 2014 saltou aos olhos de Siraj devido à sua velocidade excepcionalmente alta, quase 210 mil km/h. Isso sugeriu a possível origem interestelar do objeto, de acordo com o estudo da equipe em 2019.

Os cientistas Siraj e Loeb submeteram a descoberta ao The Astrophysical Journal Letters, mas o estudo teve um trâmite confuso durante o processo de revisão pelos pares. Parte das informações foram retidas no banco de dados CNEOS pelo governo dos EUA. Isso porque alguns dos sensores que detectam meteoros são operados pelo Departamento de Defesa dos EUA, que usa as mesmas tecnologias para monitorar os céus em busca de detonações nucleares. Como resultado, Siraj e Loeb não puderam confirmar diretamente a margem de erro na velocidade do bólido.

Os dados secretos jogaram o estudo no limbo enquanto os pesquisadores buscavam obter a confirmação do governo dos EUA. Siraj chamou o processo de vários anos de uma “saga inteira”, enquanto eles navegavam por um labirinto burocrático que serpenteava pelo Laboratório Nacional de Los Álamos, a NASA e outros braços governamentais, antes de finalmente o tema ir parar na mesa de Joel Mozer, Cientista Chefe de Operações Espaciais, a serviço da Força Espacial dos EUA.

O memorando datado de 1º de março deste ano revela que Mozer finalmente “confirmou que a estimativa de velocidade relatada à NASA é suficientemente precisa para indicar uma trajetória interestelar”. Siraj descobriu os resultados esta semana devido a um tweet de um cientista da NASA e agora está renovando os esforços para publicar a descoberta original para que a comunidade científica possa acompanhar pesquisas mais direcionadas sobre as implicações da descoberta.

O cientista argumenta que qualquer informação sobre a luz emitida pelo objeto enquanto queimava na atmosfera poderia fornecer pistas sobre a composição interior do visitante interestelar. O chamado “traço espectral” poderia confirmar, inclusive, a suspeita de outro meteoro intergaláctico, uma partícula candidatada a visitante de além da Via Láctea, presente em outro estudo publicado em 2007.

“Dado o quão pouco frequentes são os meteoros interestelares, os meteoros extragalácticos serão ainda mais raros”, advertiu Siraj. “Mas o fato é que, daqui para frente, não encontraremos nada a menos que procuremos. Podemos muito bem assumir como cientistas construir uma rede tão extensa quanto a rede de sensores do governo dos EUA e usá-la para fins científicos e usar totalmente a atmosfera”, defendeu.

Siraj conclui que “a atmosfera já é um sensor para essas coisas. (…) Nós simplesmente não estamos prestando atenção aos sinais. Então, podemos usar toda a atmosfera e ver o que vem em nosso caminho”.

Compartilhe:

Por: Redação Vigília

Fonte: https://www.vigilia.com.br/objeto-interestelar-caiu-na-terra-e-segredo-impediu-divulgacao/?fbclid=IwAR3E17fFDMJQQyDOWTP-1s-rF1cjXw8VZiNhT-t7hoPWxyD8FebuMiTj_Dk

sexta-feira, 15 de abril de 2022

Senado do Brasil convoca audiência para avaliar a questão dos OVNIS !


Os senadores brasileiros estão convocando uma sessão especial que visa trazer maior conscientização pública para a questão dos OVNIs, de acordo com um requerimento oficial do Senado que foi recentemente emitido.

Senado do Brasil convoca audiência para avaliar a questão dos OVNIsCrédito da ilustração: depositphotos

Citando países ao redor do mundo que “estabeleceram comissões de pesquisa para esses veículos”, o Requerimento faz referência a iniciativas como as realizadas pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos nos últimos anos e afirma que “busca-se uma abertura governamental para que a verdade
descoberta por estas nações e seus órgãos de pesquisa seja revelada
”.

A sessão especial que o Requerimento propõe ocorrerá por volta de 24 de junho de 2022, data reconhecida internacionalmente pelos proponentes dos OVNIs por sua associação com o avistamento do piloto Kenneth Arnold de vários objetos não identificados sobre o Monte Rainier, Washington, em 1947.

O Brasil desponta neste cenário como a primeira Nação a admitir oficialmente que os OVNIs existem de fato e têm procedência extraterrestre”, afirma uma parte do Requerimento do Senado, enfatizando o longo histórico de envolvimento do país com investigações de OVNIs. “Isso se deu em uma reunião aberta à sociedade, militares e imprensa ocorrida na Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro, em 1954, quando o então capitão da Aeronáutica João Adil de Oliveira declarou aos presentes a realidade destes objetos voadores e suas características tecnológicas avançadas. A França só faria o mesmo, vindo em segundo lugar, em 1976, 22 anos depois”.

A iniciativa recente foi liderada pelo senador brasileiro Eduardo Girão, com apoio dos senadores Eliziane Gama, Alessandro Vieira, Izalci Lucas, Jorge Kajuru, Marcos do Val, Paulo Rocha e José Reguffe.

Os esforços recentes do Senado brasileiro são em parte resultado de uma iniciativa liderada por civis que começou em 2004, lançada por A.Jm Gevaerd, editor da Revista UFO, e da Comissão Brasileira de Ufologistas (CBU) chamada “UFOs: Liberdade de informação agora” A iniciativa resultou em um convite a integrantes de ambos os grupos para comparecerem ao Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) e ao Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), em Brasília, onde tiveram acesso a documentos governamentais relacionados ao OVNIs.

Falando com Gevaerd no recente 25º Congresso Anual de OVNIs em Curitiba, Brasil, ele disse ao The Debrief que foi inicialmente contatado pelo senador Girão no final do ano passado, que o convidou para ajudar a organizar a audiência proposta no recente Requerimento do Senado.

Estamos discutindo isso”, disse Gevaerd, “e nesta mesma semana ele tornou oficial”. Gevaerd disse que isto representa “a primeira vez na história que um país em qualquer lugar do mundo [organizou] uma atividade oficial dentro de seu Senado para promover o assunto OVNIs”.

Vamos nos encontrar por uma tarde inteira em Brasília”, disse Gevaerd, onde ele e outros pesquisadores falarão com o Senado e os congressistas presentes “sobre evidências de OVNIs, pesquisadores, documentos oficiais, os melhores casos… tudo de melhor que temos sobre OVNIs no Brasil”.

Rony Vernet, engenheiro de computação brasileiro atualmente cursando mestrado em física, também esteve envolvido em ajudar Gevaerd a planejar a audiência.

Há algum tempo entrei em contato com Gevaerd para apresentar uma proposta de aproximar o Congresso brasileiro do que vem sendo feito nos EUA há algum tempo”, disse Vernet ao The Debrief. Fundador do UAP Brazil, site que examina fenômenos aéreos não identificados relatados no país, Vernet havia obtido recentemente “mais de 100 páginas de documentos e 20 minutos de vídeos sobre encontros de tribos indígenas com OVNIs” quando entrou em contato com Gevaerd.

Vernet disse que estava particularmente interessado nos desenvolvimentos de OVNIs que ocorrem nos Estados Unidos e esperava que os funcionários do governo brasileiro também estivessem dispostos a se envolver com o tema OVNIs.

Eu acompanhava diariamente as notícias que chegavam dos EUA”, diz Vernet.

A sessão especial do congresso brasileiro será um evento público”, diz Vernet, acrescentando que estará entre os pesquisadores presentes e apresentará “os pontos mais importantes dos documentos divulgados pelo governo sobre casos no norte do país envolvendo aldeias de pescadores e comunidades indígenas desde os anos 70 até os dias atuais”.

São incidentes delicados”, disse Vernet ao The Debrief, “pois envolvem pessoas atingidas por feixes de luz dos OVNIs, algumas com danos recuperáveis ​​e outras com sequelas permanentes”.

Alguns dos incidentes descritos por Vernet, que envolvem ferimentos que supostamente resultaram de encontros com OVNIs, foram investigados pela Operação Prato da Força Aérea Brasileira entre 1977 e 1978. em torno da cidade de Colares no estado brasileiro do Pará.

Gevaerd disse ao The Debrief que o Brasil teve “quatro ou cinco comitês ou programas diferentes para pesquisa de OVNIs no país”. Antecedendo em quase uma década a Operação Prato estava o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani) do país no IV Comando Aéreo Regional (COMAR), em São Paulo. Um esforço investigativo semelhante foi lançado em 1986, após um incidente amplamente divulgado envolvendo a perseguição de 21 grandes objetos esféricos por pilotos da Força Aérea Brasileira.

Vernet acredita que apresentar ao Senado brasileiro informações bem documentadas sobre fenômenos aéreos não identificados poderia estimular o país a buscar iniciativas como as vistas nos Estados Unidos nos últimos meses.

O próximo passo seria ajudar os congressistas a elaborar um projeto de lei para criar um escritório de pesquisa envolvendo organizações civis e militares como o que foi proposto pela Emenda Gillibrand”, diz Vernet, que também disse que atualmente lidera uma iniciativa separada focada em informar cientistas brasileiros influentes sobre a questão dos OVNIs.

Gevaerd diz que espera que a próxima audiência continue o que ele vê como um papel de liderança que o Brasil desempenhou ao trazer transparência à questão dos OVNIs ao longo das décadas.

Eu diria que o Brasil tem uma liderança nesse campo”, diz Gevaerd. “Temos um movimento que começou há cerca de dez anos para pedir ao governo que esclarecesse sobre os OVNIs.”

E nós conseguimos”, diz Gevaerd. “Agora, na biblioteca pública do Arquivo Nacional de Brasília, há 20.000 páginas de documentos de OVNIs produzidos pela Força Aérea Brasileira de acesso público gratuito.

Apesar da longa história do governo brasileiro de envolvimento e documentação relacionada às suas investigações no Arquivo Nacional do país, Vernet diz que muitos no Senado brasileiro permanecem em dúvida, e que a audiência pode ser uma importante oportunidade para conscientizar sobre questões em andamento relacionadas ao fenômeno das aeronaves não identificadas.

Deve ser lembrado que a maioria dos senadores é cética”, disse Vernet. “O foco em documentos e fatos oficiais do governo dos EUA é fundamental”, diz ele.

https://www.ovnihoje.com/2022/04/08/senado-do-brasil-convoca-audiencia-avaliar-ovnis/

Fonte: http://issoeofim.blogspot.com/

sábado, 9 de abril de 2022

DNA extraterrestre? Exames de uma amostra de cabelo de um suposto alienígena revelou algo intrigante


"Ele se deparou com duas mulheres estranhas peladas na cama dele. Eram estranhas, pareciam manequins e ele percebeu que ia ser estuprado."

Escrito por Philipe Kling David mar 23 · 11 Minutos de leitura <?XML:NAMESPACE PREFIX = "[default] http://www.w3.org/2000/svg" NS = "http://www.w3.org/2000/svg" />>

No âmbito da Ufologia, é comum ouvirmos uma expressão que se refere ao fenômeno. Algo mais ou menos assim:

“Certas pessoas só irão acreditar que aliens existem quando tiverem uma prova de um DNA extraterrestre.”

O nosso caso gump de hoje coloca fogo nessa gasolina com uma situação intrigante que nos permite debruçar sobre a viabilidade dessas “máximas” de que incontestável mesmo, só o DNA.
Há realmente poucos casos envolvendo extraterrestres e amostras físicas estudáveis, que dirá a obtenção de um amostra de DNA. Conseguir este tipo de coisa é uma tarefa esplêndida, e que realmente poderia nos levar a traçar questionamentos muito mais profundos sobre a existência, quiçá origem desses seres. Uma vez que haja um DNA a ser estudado, o foco do estudo, ou seja, o ALIEN, passa da dimensão mítica hipotética e fantástica, para uma dimensão mensurável, física, biológica e empírica.

Essa história começa com o australiano Peter Khoury. Por 30 anos ele manteve o que considerou ser a primeira amostra do mundo de material biológico de um ser extraterrestre em sua posse. Em particular, estamos falando de uma mecha de cabelo loiro que Khouri coletou após um bizarro contato estranho com uma mulher humanóide.

Trending

O cemitério do Everest

Peter Khoury era originalmente do Líbano, mas imigrou para a Austrália em 1973. No início dos anos 1980, ele conheceu uma garota chamada Vivian, que em 1990 se tornou sua esposa e juntos tiveram dois filhos.

Em fevereiro de 1988, quando Peter e Vivian estavam namorando, eles testemunharam um OVNI uma noite que circulou acima deles no céu noturno. Nada mais estranho aconteceria com eles naquela noite, mas alguns meses depois, em julho daquele ano, Peter acordaria à noite em sua cama com a sensação de que algo havia agarrado suas pernas.

Antes que pudesse abrir os olhos, ele percebeu que não conseguia falar e não conseguia se mexer, estava paralisado. No entanto, ele permaneceu consciente e viu que em seu quarto, ao lado da cama, havia três ou quatro criaturas humanóides baixas em mantos com capuz.

Esses seres enviaram contatos telepáticos para seu cérebro e o aconselharam a se acalmar e não ter medo, porque “tudo será como da última vez”.

Peter não entendeu de que “última vez” ele estava falando, mas enquanto pensava no que estava acontecendo, um dos alienígenas pegou uma agulha longa e fina e a enfiou na cabeça de Peter, após o que ele perdeu a consciência.

A frase nos leva a concluir que como em uma significativa parcela de casos ufológicos, ele era um abduzido sistemático.

A primeira evidência física

Quando acordou, ainda era noite e ele estava em seu próprio quarto. Ele correu para os quartos de seu irmão e pai e descobriu que eles estavam dormindo pacificamente. De manhã, Vivian notou uma marca de punção na cabeça de Peter e havia um pouco de sangue seco nela.

Naquela época, Peter não sabia nada sobre OVNIs, sobre o fato de alienígenas abduzirem pessoas e, em geral, nada sobre ufologia, mas todas as suas tentativas de se convencer de que era apenas um pesadelo foram malsucedidas, ele se lembrava de tudo muito vívido e bem.

Alguns meses depois, Peter acidentalmente viu um anúncio da obra “Comunhão” de Whitley Strieber, no qual Strieber falava sobre sua própria abdução alienígena. Quando Peter leu este livro, ele finalmente percebeu que não estava sozinho.

E em julho de 1992, Peter Khoury teve um contato ainda mais estranho e assustador com o fenômeno. Era de manhã cedo e ele estava na cama. Ele havia sofrido uma pequena lesão no trabalho no dia anterior quando trabalhava na sua própria empresa de fabricação de cimento e agora estava esperando a ferida cicatrizar enquanto tomava analgésicos.

Não havia ninguém na casa além dele, Vivian já havia saído para o trabalho. E de repente Peter viu que ali, diante dele, estavam duas mulheres completamente nuas e as duas estavam lascivamente sentadas em sua cama com os olhos penetrantes travados nele.

Parece um roteiro de Emanuelle no espaço, do Band Privê, mas segundo o homem, foi exatamente assim, duas aliens peladas apareceram pra ele na cama; e as duas estavam com “intenções”, se é que me entende.

Farra Fawcett alienígena

Peter imediatamente percebeu que aquelas duas moças não eram humanos, embora sua forma fosse muito parecida com a das pessoas, não eram os baixinhos cabeçudos de sempre, (felizmente, né?). Uma era o que parecia um tipo de asiática com cabelos pretos na altura dos ombros e olhos escuros, a outra era tipicamente a loura gostosa arquetípica com visual escandinavo na aparência, grandes olhos azuis claros e longos cabelos loiros que chegavam ao meio das costas.

Peter prestou atenção especial ao cabelo dela, pois foi estilizado em um penteado incomum:

“Eu nunca vi esse cabelo antes. Eles eram como o penteado da Farra Fawcett (atriz americana), mas muito mais magníficos. Parecia um pouco incomum”, disse Khoury.

Farrah Fawcett marcou toda uma geração e seu cabelo apelidado de “penteado pantera” foi muito famoso.

Foi principalmente por causa dos rostos das mulheres que Peter percebeu que elas não eram humanas. Seus rostos eram peculiares – não exatamente sem atrativos, mas excessivamente esculpidos, com maçãs do rosto extremamente altas e olhos duas ou três vezes maiores que o normal em humanos.

Peter prestou atenção especial à loira. Parecia-lhe que o rosto dela era muito comprido para um ser humano, de qualquer forma, nunca tinha visto pessoas com rostos tão alongados antes na vida.

Khouri disse que percebeu que numa relação hierárquica, a loura era a principal das duas, e Khouri também achava que eles estavam se comunicando telepaticamente. Externamente, os rostos das mulheres não expressavam nenhuma emoção, eram “vazios”, como se fossem dois manequins de carne.

Embora Khoury estivesse atordoado com a aparição repentina das mulheres, ele só teve alguns momentos para se perguntar como elas poderiam ter entrado em seu quarto quando a loira estendeu as duas mãos e agarrou a parte de trás de sua cabeça, trazendo seu rosto perto de seu peito. Ele se opôs. Então ela o puxou ainda mais forte.
Era um estupro.

A mulher alienígena estava tendo uma reação puramente mecânica, como se tivesse visto algum tipo de filme erótico de como os seres humanos copulam e sem entender bem o que se passava, e estivesse tentando reproduzir, na base da violência.

“Ela era muito forte. Ela me puxou para ela e minha boca estava praticamente em seu peito. Desesperado, eu a mordi lá.”

Amputou a teta da Et!

Peter Khoury disse que não sabia por que ele mordeu a mulher, mas apesar de sentir um pequeno pedaço de seu seio saindo de seus dentes, ela não gritou de dor. Mas a “expressão” de seu rosto era como “ué… algo não está certo”. De certa forma, ela estava claramente confusa.

“A loira olhou para a asiática e depois olhou para mim como se não fosse do jeito que deveria ser. Foi como me dizer: ‘Ei, otário, você fez errado.’

Um momento depois, Khouri tossiu enquanto involuntariamente engolia um pedaço de carne que havia sido mordido. E então as duas mulheres desapareceram, e Khouri de alguma forma sentiu uma forte vontade de urinar.

Nessa parte eu acredito que ele possa estar com um efeito de missing time. Certamente os caras desligaram Peter, fizeram o que queriam fazer e o que ele se lembra é de quando elas estavam sumindo, mas isso é o que eu acho. Pq eu acho isso? Por causa do que ocorre a seguir. Vamos continuar com o caso:

Uma vez no banheiro e urinando, o homem de repente sentiu que havia algo estranho em seus órgãos genitais e, quando o examinou, encontrou longos cabelos loiros presos ao redor dele. Ele os tirou com grande dificuldade, porque parecia que seu cabelo estava deliberadamente puxado muito apertado. E então Peter os colocou em uma pequena bolsa.

Tudo isso parece claramente algo muito duvidoso e cheira a fantasias eróticas, (tirando arrancar a teta do Et na dentada e engolir) mas Peter Khoury garante que tudo foi exatamente assim e que ele próprio também ficou chocado com as coisas estranhas que lhe aconteceram.

Ele também sabia que isso seria bem bizarro para sua esposa, então contou a ela só duas semanas depois. E ele ficou muito surpreso quando ela… Acreditou.

Além disso, Peter Khoury tentou entrar em contato com ufólogos locais e contar a eles sobre sua estranha experiência, mas tudo terminou com o fato de que em abril de 1993 ele fundou seu próprio grupo ufológico, a UFO Survivor Support Association (UFOESA).

E em 1999, o International UFO Reporter publicou um artigo sobre o que aconteceu com Peter Khoury e sobre a amostra de cabelo que ele tinha e foi submetida a vários estudos.

Um DNA de alta qualidade

O cabelo loiro era incrivelmente fino para cabelo humano e quase incolor. Concluiu-se que o cabelo nunca havia sido tratado quimicamente, caso contrário pouco ou nenhum DNA mitocondrial teria sido obtido. No entanto, foi relatado que usando o método PCR (reação em cadeia da polimerase) foi possível restaurar o DNA de alta qualidade.

Além disso, amostras de cabelo de Peter Khoury e sua esposa Vivian foram obtidas para comparação. O DNA do cabelo de Peter foi efetivamente extraído, mas o DNA do cabelo de Vivian não pôde ser recuperado, provavelmente devido ao processamento químico.

Especialistas do Anomaly Physical Evidence Group chegaram a um resultado impressionante depois de estudar cuidadosamente amostras de cabelo. Afirmaram que esse cabelo loiro fino, que parecia pertencer a uma mulher branca de pele clara.

Em vez disso, apesar de ainda serem reconhecidos como humanos, os cabelos tinham cinco marcadores de DNA diferentes, indicando um subgrupo raro do tipo racial mongolóide chinês.

Uma revisão completa da literatura sobre a variação do DNA mitocondrial, que incluiu dezenas de milhares de amostras, descobriu que apenas quatro pessoas no mundo tinham todos os cinco marcadores incomuns em seus cabelos. Além disso, TODOS ELES tinham cabelos pretos.

O DNA mitocondrial é transmitido exclusivamente de mãe para filho e, portanto, fornece um método de rastreamento da linhagem materna. Os dados do Alien curl mostraram que a loira misteriosa e todos os quatro participantes chineses compartilharam um ancestral feminino comum. No entanto, nenhuma explicação direta de como isso poderia acontecer foi dada pelos pesquisadores.

O teste de DNA nuclear, se pudesse ser extraído de cabelos loiros, seria mais difícil e caro do que os testes anteriores, mas poderia revelar que a genealogia do pai da loira era ainda mais estranha que a da mãe.

Infelizmente, o grupo não tinha fundos para estudos de DNA mais complexos, mas mesmo o resultado obtido foi impressionante. Sem o padrão de cabelo loiro, a história de Peter Khoury era apenas mais uma em uma série quase interminável de contos de sequestro angustiantes, mas inverificáveis. No entanto, esse fio de cabelo misterioso mudou tudo.

Detalhes do caso e dos resultados do DNA foram aprofundados neste livro

Era inegavelmente um cabelo real, e uma extensa análise forense mostrou que seu DNA era anômalo. Ninguém com cabelo loiro e esse tipo de DNA parece ter existido na cidade de Sydney, ou no continente australiano, ou provavelmente em qualquer outro lugar do mundo.

Quem, então, era a entidade cujo cabelo loiro estava inexplicavelmente enrolado no pênis de Peter Khoury?

Este estudo e a publicação do artigo ocorreram graças ao principal ufólogo da Austrália naqueles anos, Bill Chalker . Aqui está como ele mesmo reagiu às descobertas da equipe de pesquisa:

“Estamos lidando com ‘pessoas’ de algum outro lugar, ou pessoas com DNA humano, embora muito raros e um tanto anômalos?

Este caso levanta todos os tipos de questões, como a “panspermia” humana – a teoria de que criaturas semelhantes a humanos podem ter migrado para a Terra em um passado relativamente recente de outros lugares da galáxia, possivelmente levando ao súbito surgimento do moderno Homo sapiens, um espécie que não é descendente direta de seus predecessores imediatos, os neandertais.

Além disso, dadas as ligações com os mongolóides asiáticos, consideramos o problema dos tipos asiáticos raros semelhantes europeus no passado. A esse respeito, a história das controversas múmias Taklamakan (Tarim) encontradas no remoto oeste da China é algo a se considerar.

Entre essas múmias, há pessoas bastante altas, com cerca de 180 cm ou mais, e algumas delas são louras. Não estou sugerindo nenhuma conexão aqui, mas você entende que esta investigação abriu muitas possibilidades interessantes sobre a natureza biológica de algumas das criaturas envolvidas nos casos de abdução.”

Múmias Louras da idade do bronze descobertas no deserto da China. Saiba mais

Infelizmente, o misterioso caso do homem que foi estuprado por duas alienígenas e só ficou com um fio de cabelo misterioso para provar sua história super esquisita termina assim, tão sem pé nem cabeça quanto começa. Mas efetivamente, o que podemos pensar sobre esse DNA anômalo?

Pessoalmente eu acredito que espécies alienígenas estão com um longo e complexo programa de hibridização alienígena-humano, e mais ainda, estão retirando pessoas daqui e estão “semeando com gente” outros planetas similares ao nosso, fazendo quase que a mesma coisa que nós fazemos quando criamos “jardins botânicos”.
Entre as perguntas que decorrem da análise deste caso, uma em particular é interessante: Se as criaturas queriam esperma, por que não imobilizar a cobaia e extrair com uma simples seringa?
A metodologia usada aqui parece rudimentar e esquisita para uma espécie mais desenvolvida.
Se a memória não estiver me traindo, eu me recordo vagamente que uma abduzida recorrente que havia sido previamente hipnotizada pelo Doutor David Jacobs, e publicado em seu livro “A ameaça”.
David teve a sagacidade de perceber que no processo de abdução as criaturas conseguiam de alguma forma, bloquear uma área de memória do cérebro, gerando um tipo de “confusão onírica” que funcionava como uma memória-tampão. Esse processo nem sempre era eficaz para todos os abduzidos, e alguns permaneciam com memórias confusas, e misturadas sobre os acontecimentos, e ao terem a regressão hipnótica, as memórias registradas eram parcialmente recuperadas, mas ainda com dificuldade. David sabia disso e tentou inovar. Com algumas pacientes que eram abduzidas recorrentemente, ele usou um método ativo e não passivo de registro de memória, como a regressão. Ele pré-hipnotizou toda essa galera e deixou geral hipnotizado, de modo que quando ocorresse a abdução eles “gravariam” como se fossem câmeras de video o processo de abdução. Ao fazer isso, ele conseguiu uma proeza: deu um “S” no Et.
Os aliens sem saber que suas cobaias estavam sendo obtidas com um sugestão hipnótica prévia “rodando no background”, fizeram seu trabalho e depois misturaram suas memórias como faziam recorrentemente , mas aqui vem o X da jogada: Ao registrarem a própria abdução como se fossem câmeras, seguindo sua sugestão hipnótica prévia, todo esse material mnêmico parece ter sido guardado em algum outro tipo de instância de memória, que os aliens não conseguiram acessar mais para apagar. A explicação para isso é facilmente compreendida ao estudar os processos biológicos com o qual nossa memória é armazenada. temos basicamente uma memória de curto prazo e uma memória de longo prazo. O alien conseguia ferrar a memória de curto prazo, mas ao ser hipnotizada a pessoa armazenava as lembranças no campo das memórias de longo prazo.
Sabe quando uma pessoa tem um quadro de doença de Alzheimer? Ela perde as lembranças recentes, mas ainda lembra de coisas antigas? É porque a doença vai destruir inicialmente as lembranças de curto-prazo, enquanto as de longo prazo, são bem mais complexas de afetar.
Isso deu a David Jacobs um acesso nunca antes obtido por qualquer investigador ou hipnoterapeuta até hoje. E numa dessas abduções recuperadas como se fosse um filme num video cassete (era esse o comando que David dava às pacientes) uma das abduzidas em telepatia perguntou ao alien diversas coisas sobre o processo, e o alien inesperadamente -certamente confiando que tudo seria apagado – disse a ela que eles estavam testando como a hibridização com relações sexuais produzia híbridos diferentes de cruzamentos genéticos in vitro.

Seria essa a explicação para a metodologia sexual que ocorre em diferentes casos, relatados em livros como o Intruders, do Budd Hopikins, e em casos famosos como o Caso Villas Boas ou estupros pouco conhecidos, como o caso Huggins? São muitos casos que envolvem conjunção carnal física entre gente e não-gente.  Entre eles os casos de Howard Manger, Shane Kurz, Jocelino de Mattos, caso Mirassol, enfim, o volume de casos é enorme. Uma pesquisa da MUFON elencou cerca de 215 casos envolvendo este tipo de abordagem, sendo a atividade sexual direta (carnal) somando 5% desses casos. Há inclusive relatos estranhos envolvendo indução sexual entre pessoas abduzidas, ou seja, dois abduzidos que não se conhecem sendo forçados a copular.

Isso seria feito para que os alienígenas pudessem monitorar algum tipo de atividade cerebral no processo? Não se sabe.

Caso Villas Boas: O caso mais famoso de tentativa forçada de induzir uma cópula entre espécies

Claro que o livro de Jacobs bem como suas conclusões e toda essa conexão hipotética são puras especulações, mas eu pessoalmente considero extremamente fascinantes. O que temos desse caso curioso é uma amostra de um DNA, que tem suas origens em povos orientais, de onde inclusive, provém a história curiosa dos discos do povo Dropa.
Seja como for, o DNA está aí pra jogo e tudo permanece tão inconclusivo quanto sempre foi.

Outro elemento presente neste caso que considero estranho: O cara amputa o mamilo da Et e tipo fica por isso mesmo? Ela não esboça reação de dor, mas sim de confusão. Isso poderia nos levar a um questionamento se de fato esse cara estava diante de seres autônomos, ou se realmente era exatamente como ele disse que pareciam: Manequins de carne controlados remotamente, como robôs biológicos construídos com material genético humano.

Poderiam elas ser algum tipo de robô genético como as estranhas criaturas do Caso Leme, ouça aqui o caso no podcast Hangar 18

Casos com manequins e “clones” biológicos também aparecem em outros relatos ufológicos e eu falei disso aqui.

Manequins fake para induzir relações sexuais? A gente tb faz isso com os animais.

Seja como for, o caso é muito interessante. Isso ninguém pode negar!

Bom, eu vou ficando por aqui. Agradeço se vc teve saco e chegou até aqui. Se vc gostou, compartilhe.
Até o próximo post.

Fonte: https://www.mundogump.com.br/dna-extraterrestre-exames-de-uma-amostra-de-cabelo-de-um-suposto-alienigena-revelou-algo-intrigante/?fbclid=IwAR0TkD4lX1re3A-uffdqFXA_v-zXmta16e8KWZEVt2TyVIRxxYX8lEv0Ri8

terça-feira, 5 de abril de 2022

Xamã Africano Credo Mutwa e David Icke DUBLADO

Castelo de pedra de mais 5.000 anos


2 de abril às 02:46 ·

Pode ser uma imagem de ao ar livreEscavado um antigo castelo da Índia com 5000 anos. Foi soterrado após uma enchente. Visualmente, o detalhamento é como se cada detalhe fosse esculpido à mão em marfim, embora na verdade foi feito apenas de pedra.

Fonte: https://www.facebook.com/photo/?fbid=10159761487932692&set=gm.1010015719946205

domingo, 27 de março de 2022

CIENTISTA Confirma Que EXTRATERRESTRES CRIARAM A RAÇA HUMANA


Existiriam civilizações de seres humanos avançados espalhadas pelas galáxias? Um grupo de pesquisadores trabalhando no Projeto Genoma Humano fizeram uma descoberta impressionante! Os resultados do estudo deixaram alguns cristãos furiosos.

Eles acreditam que 97% do DNA humano que são formados, pelas assim chamadas, “sequências não-codificadas” são nada menos que códigos genéticos de formas de vida extraterrestres. As sequências não-codificadas são comuns em todos os organismos vivos da Terra, de células à peixes à humanos. Elas constituem grande parte do DNA humano, diz o professor Sam Chang, líder do grupo.

As sequências não-codificadas, originalmente conhecidas como “DNA-LIXO”, foram descobertas anos atrás e sua função permanece um mistério. A esmagadora maioria do DNA humano vem de fora do nosso planeta. Esses evidentes “genes-lixo extraterrestres” simplesmente “curtem o passeio” com os outros genes ativos, passando de geração à geração.Depois de abrangentes análises com a assistência de outros cientistas como programadores, matemáticos e outros sábios acadêmicos, o professor Chang se perguntou se o evidente DNA-LIXO humano foi criado por algum tipo de “programador extraterrestre”. “As cadeias alienígenas dentro do DNA humano tem suas próprias veias, artérias e seu próprio sistema imunológico que resiste vigorosamente à todos os tipos de drogas anti-câncer conhecidos”, observa o professor Chang.

O professor Chang estipula também que “Nossa hipótese é que uma forma de vida extraterrestre superior se ocupou de criar novas formas de vida e de plantá-las em vários planetas. A Terra é apenas um deles. Talvez, após programar-nos, nossos criadores se ocuparam de criar-nos como criamos bactérias em laboratórios. Nós não sabemos seus motivos, se era para ser um experimento científico, ou um jeito de preparar novos planetas para a colonização, ou se é um trabalho de longo prazo de semeação de vida no universo”.

Chang, além disso, ressalta que “Se nós pensarmos nisso em termos humanos, os supostos “programadores extraterrestres” provavelmente estavam trabalhando em “um grande código” consistente de vários projetos, e esses projetos devem ter produzido várias formas de vida para vários planetas. Eles também devem ter tentado várias soluções. Eles escreveram “o grande código”, executaram-no, não gostaram de algumas funções, mudaram-no ou adicionaram novas funções, executaram-no novamente, fizeram melhorias, tentaram novamente e novamente”.

Além disso, o time de pesquisadores do professor Chang conclui que “Os “programadores extraterrestres” talvez tenham sido ordenados a excluir todos os seus planos idealísticos para o futuro quando se concentraram no “projeto Terra” a fim de terminá-lo no prazo adequado. Provavelmente com pressa os “programadores extraterrestres” cortaram drasticamente o “grande código” e o entregaram somente com as características básicas planejadas para a Terra.

Chang é somente um de vários cientistas e outros pesquisadores que descobriram origens extraterrestres para a Humanidade.Chang e seus colegas mostram que as aparentes lacunas no sequenciamento do DNA, precipitadas por uma suposta pressa em criar a vida humana, presenteou a raça humana com o ilógico crescimento desordenado de células que conhecemos por câncer.

Um pastor do estado da Califórnia nos Estados unidos deu sua opinião recentemente em uma pequena entrevista: ”Isso é impossível, nós sabemos que o homem foi feito do barro, assim diz a palavra de Deus e ela é imutável, isso certamente é obra do inimigo para afastar as pessoas do caminho do Senhor, porque na bíblia está escrito que Deus é Deus pra todo sempre e quem crê nele será salvo, caso contrário será condenado. A verdade está na bíblia.” Concluiu.

O professor Chang ainda aponta que “o que vemos em nosso DNA é um programa consistindo de duas versões, um código básico e um grande código”. Chang então afirma que “o primeiro fato é que o programa completo absolutamente não foi escrito na Terra, isto é um fato confirmado. O segundo fato é que os genes, por si sós, não são suficientes para explicar a evolução, deve haver algo mais “no jogo”. “Cedo ou tarde”, diz Chang, “nós teremos que enfrentar a inacreditável ideia de que toda a vida na Terra carrega códigos genéticos de nossos “primos extraterrestres” e que a evolução não se deu do jeito que pensávamos”.

Fonte

Postado por Alexander Zimmer em janeiro 07, 2020 0 comentários

sábado, 26 de março de 2022

Liberado parcialmente o relatório secreto do Pentágono sobre óvnis


25/03/2022

Por: Jeferson Martinho

Liberado parcialmente o relatório secreto do Pentágono sobre óvnis Liberado parcialmente o relatório secreto do Pentágono sobre óvnis

Compartilhe:

O site The Black Vault, notório pelas ações com base na Lei de Liberdade de Informação dos EUA, conseguiu a liberação parcial da parte secreta do relatório sobre óvnis do Pentágono. A peça foi entregue com muitas linhas — às vezes páginas inteiras — censuradas (rasuradas).

Trata-se de um triunfo do esforço do site, comandado por John Greenewald, para obter transparência em um assunto de tamanha importância.

No ano passado, um dos últimos atos do ex-presidente Donald Trump, depois de ser derrotado nas urnas pelo democrata Joe Biden, foi a determinação de que Escritório do Diretor de Inteligência Nacional EUA apresentasse ao Congresso norte-americano um relatório com informações que o aparato de defesa possuísse acerca de objetos voadores não identificados.

A medida era uma resposta à pressão do parlamento dos EUA para que o Governo Federal apresentasse respostas concretas após o vazamento de vídeos, fotos e depoimentos de tripulantes e pilotos da Marinha dos Estados Unidos acerca de encontros com fenômenos aéreos anômalos.

Depois de 180 dias, conforme determinou a lei, o Pentágono apresentou um relatório dividido em duas partes: uma menor, acessível publicamente, e um documento mais completo, este ainda secreto, destinado apenas aos congressistas membros do Comitê de Inteligência do Congresso dos EUA. A liberação parcial que acontece agora é justamente dessa segunda parte.

“Este esforço do The Black Vault é o resultado de um caso de Revisão de Desclassificação Obrigatória (MDR) arquivado sob 32 CFR § 1704 (não os casos usuais da Lei de Liberdade de Informação [FOIA], geralmente arquivados sob 5 USC § 552) menos de 24 horas após a versão pública do mesmo ser lançada”, escreveu o The Black Vault.

O caso exigia que o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI), em conjunto com todas as agências e ramos militares que contribuíram para o relatório original, revisassem suas respectivas contribuições e, ao final, liberassem os documentos ou a parte deles desnecessariamente classificados como secretos.

Formas dos UFOS censuradas

Embora o resultado final não traga qualquer nova grande revelação, dá pistas sobre o que a comunidade de defesa dos Estados Unidos e os militares consideram tema sensível ao escrutínio público quando o assunto é UFO.

Nas 17 páginas do documento, 8 a mais que o relatório público, a maior parte das tarjas e rasuras de censura foi colocada nos trechos que tratam de formatos e comportamentos dos UAPs (Unidentified Aerial Phenomena, como os militares preferem denominar os óvnis ou UFOs agora).

Páginas inteiras como títulos como “Formatos Comuns” ou “Formatos menos comuns ou eventuais” foram suprimidas.

Um novo depoimento também se destaca entre as linhas suprimidas. Trata-se aparentemente de um piloto que teria descrito estar lutando para manter sua aeronave em voo em meio a ventos fortes enquanto testemunhava um óvni estático aparentemente não afetado pela condição climática.

O documento na íntegra está disponível neste link no site The Black Vault, junto com um vídeo com os comentários de seu mantenedor, John Greenewald. Clique aqui para conferir (infelizmente até o momento desta publicação ainda não era possível ativar as legendas com tradução automática para português).

_________________

LEIA TAMBÉM:

EUA: políticos querem mais esforço na investigação dos UAP. E relatórios anuais

Além dos EUA a China também estaria investigando óvnis e preparando relatório

Opinião: O que o relatório do Pentágono disse sobre UFOs/UAPs e você não viu?

Por que a Força Aérea dos EUA silencia frente aos UAP?

Por: Jeferson Martinho

https://www.vigilia.com.br/liberado-parcialmente-o-relatorio-secreto-do-pentagono-sobre-ovnis/?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=addtoany&fbclid=IwAR1lYi4-nx6-wBYuBGrJSIT0GT6Wfql4kAoVYLHUOixqcndoTPeIeOLo-LI

segunda-feira, 21 de março de 2022

ESCRITORA RACHEL DE QUEIROZ VIU OVNI EM QUIXADÁ - CE

Biden aprova projeto de lei geral, que incluí financiamento para o escritório de UFOs


Data: 20 de março de 2022Autor: bancodedadosufologicosecientificos 0 Comentários

O presidente Biden assina a nova Lei de Financiamento, que inclui verba para o escritório UFO.
Créditos: Liberation Times

O presidente norte-americano Joe Biden assinou o projeto de lei geral que financia os gastos federais para o restante do ano fiscal atual, que abrange o dinheiro reservado para o novo escritório UFO. Em meio a tal evento, evidências crescentes sugerem que os UFOs/UAPs não refletem tecnologia de países adversários.

Ontem, 15 de março, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou o projeto de lei geral que financia os gastos federais para o restante do ano fiscal atual, incluindo US$782.5 bilhões para defesa, que engloba dinheiro (embora nenhum valor tenha sido confirmado) reservado para os Fenômenos Aéreos Não Identificados (UAP), legislado pelo Congresso dentro da Lei de Autorização de Defesa Nacional para o ano de 2022 (NDAA 2022), conhecido como Grupo de Sincronização de Gerenciamento e Identificação de Objetos Aerotransportados ou AOIMSG.

A medida marca um grande marco para a AOIMSG, em meio a uma possível preocupação com o ritmo lento de sua implementação para atender à intenção do Congresso. Falando ao Liberation Times, uma fonte do Departamento de Defesa (DoD) sugeriu que a aprovação de Biden do projeto de lei sinaliza um momento decisivo para o Gabinete do Subsecretário de Defesa para Inteligência e Segurança (OUSDI&S), comentando: “Estamos finalmente no ponto em que o futuro da AOIMSG é forçado a ser determinado. Assim que o presidente assinar a nova conta, os processos para começar a alocar fundos começarão.”

“Esse financiamento dará ao novo escritório a capacidade de começar a executar ações de contratação e aquisições. A questão remanescente é, uma vez financiado, o OUSDI&S tem um plano para atender aos requisitos e intenções que o Congresso definiu?”, continuou. A paciência parece ser escassa entre os políticos, que estarão ansiosos para ver o progresso antes do lançamento de um relatório UAP não classificado esperado em outubro de 2022, e antes das eleições de meio de mandato, o que também podem mudar a composição dos comitês.

Também está se tornando cada vez mais evidente que os UFOs podem não ser originários da Rússia ou da China, conforme sugerido na Avaliação Preliminar UAP de junho de 2021. Em fevereiro de 2022, o Washington Post informou que um drone russo abatido por forças ucranianas era composto de tecnologia “(…) fabricada por meia dúzia de empresas ocidentais.” O investigador Damien Spleeters, do grupo Conflict Armament Research (CAR), comentou ao Washington Post que, sem essas peças, a Rússia teria achado “(…) muito mais difícil produzir e operar os drones, com certeza.”

Um drone russo “kamikaze”, montado com uma miríade de tecnologias ocidentais… Nada ufológico em sua natureza.
Fonte: Liberation Times

Falando ao Liberation Times, a fonte do DoD comentou: “O senhor Elizondo afirmou anteriormente que ninguém no Pentágono realmente acreditava que isso fosse tecnologia russa ou chinesa. Esta afirmação é exemplificada com a crise em curso na Ucrânia. Os drones russos foram facilmente neutralizados pelas forças da Ucrânia. Nós simplesmente não estamos vendo grandes saltos nas tecnologias de drones russos. Alternativamente, a Ucrânia tem utilizado drones TB2 turcos para infligir sérios danos às forças russas. Essa exibição contínua fornece evidências adicionais de que as tecnologias exibidas por alguns UAPs não são capacidades do arsenal russo. A invasão da Ucrânia pela Rússia destacou o quão precisa e consciente é a Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos, pois não houve surpresas. A Rússia e a China simplesmente não têm nada em seus arsenais com as mesmas ou semelhantes capacidades de alguns dos UFOs que vimos.”

O congressista Tim Burchett concorda com a avaliação de que os UFOs podem não refletir a tecnologia russa, afirmando: “Se os UFOs fossem tecnologia russa, Vladimir Putin já os teria usado contra nós.” Investigando ainda mais o tópico, sobre se os UFOs poderiam ser de outros países, o Liberation Times conversou com um especialista em aviação que trabalha na indústria de defesa, que fez os seguintes comentários: “Eles simplesmente não têm a tecnologia. Considere os drones da Rússia sobre a Ucrânia. Foi relatado que a eletrônica dos drones capturados usa peças construídas principalmente por empresas ocidentais. Não conheço ninguém que tenha ficado impressionado com a tecnologia da Rússia nesta guerra.”

“Já a China ultrapassou a Rússia em tecnologia e está se tornando um jogador importante na arena de mísseis hipersônicos. Mas mísseis hipersônicos têm meios de propulsão muito discerníveis, não podem permanecer estacionários em ventos fortes e assim por diante. Quanto a outras tecnologias, a China ainda licencia e/ou compra seus motores a jato da Rússia. E eu apostaria que esses motores usam peças ocidentais como seus drones. Então eu não acho que seja a China também. Agora, vamos ignorar a tecnologia e focar nos eventos. Como esses ‘drones’ foram implantados tão perto dos Estados Unidos sem serem detectados?”, continuou.

“Posso continuar dando exemplos por muito tempo. A lógica para sistemas adversários estrangeiros simplesmente não faz sentido. Os cínicos dirão que nosso governo está mentindo para protegê-los do embaraço de sistemas estrangeiros que penetram em nosso espaço aéreo. Para eles, eu digo: ‘Olhem para a Ucrânia.’ A Rússia está em uma luta muito dura agora. Eles não usariam esses sistemas de alta tecnologia para obter vantagem? A China não emprestaria secretamente à Rússia alguns de seus sistemas para testá-los em batalha? Acho que precisamos procurar em outro lugar e não vou alimentar a noção de que eles nos pertencem. Isso significaria testar secretamente a tecnologia contra nossos próprios marinheiros e pilotos, causando quase acidentes e participando de uma conspiração para mentir ao Congresso”, finalizou.

FONTE: Liberation Times via Revista UFO

Fonte: https://bancodedadosufologicosecientificos.wordpress.com/2022/03/20/biden-aprova-projeto-de-lei-geral-que-inclui-financiamento-para-o-escritorio-de-ufos/?fbclid=IwAR2uk5pwzPBbWHXG8AJxGOxKls7OJXKVAlEaOqb6ov2Eb6r-N7BKtf6zFws

terça-feira, 8 de março de 2022

Um bom dia para as mulheres Ufólogas e simpatizantes da Ufologia

por Jacinto Pereira

Hoje, 08 de março, se comemora o Dia Internacional das Mulheres e eu quero parabenizar a todas as mulheres do mundo e em especial as mulheres da minha convivência. Não concordo com a Bíblia Sagrada quando coloca a mulher como a fonte do mal da humanidade, quando coloca nelas a responsabilidade pelos pecados humanos. Para mim as mulheres não merecem toda essa injustiça e não concordo que elas paguem esse preço. No mundo em que vivemos, as mulheres carregam a maior parte das mazelas das Sociedades. Trabalha mais e recebem menos; educam mais e recebem o pior tratamento; desenvolvem mais tarefas e recebem menos reconhecimentos por isso; vão menos às guerras, mas sofrem mais com elas. Mulheres são maltratadas em todas as camadas sociais, em todas profissões, em todas as religiões. Lamento que só uma pequena porcentagem das mulheres do mundo sejam tratadas com a dignidade que merecem. Está na hora das mulheres serem tratadas como iguais em todos os direitos e privilégios, está na  hora de serem libertadas dos jugos das sociedades machistas, está na hora das mulheres receberem o reconhecimento pelos seus valores. Lembrem-se: Mulheres podem até viver sem sociedade, mas sociedades, nem existirão sem mulheres.

Um feliz dia para todas as mulheres.